Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Terça-feira, Setembro 21, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Discoteca Aquaclub vai ser um ginásio

A antiga discoteca Aquaclub, na zona ribeirinha de Abrantes, vai transformar-se num ginásio. A empresa MNF Crossfitness, Lda concorreu pela cedência do espaço tendo sido ratificado esta semana o despacho do presidente da Câmara Municipal, que aprovou a decisão.

- Publicidade -

Após concurso público para a cedência de exploração do edifício situado no Aquapolis Norte, onde funcionou até há pouco mais de um ano o clube de diversão noturna Aquaclub, a Câmara Municipal de Abrantes ratificou na terça-feira, 23 de julho, um despacho do presidente que aprovou o relatório do júri do procedimento, adjudicando a cedência de exploração à empresa MNF Crosfitness, Lda. pelo valor de 350 euros mensais.

“Houve um concurso para revitalizar e explorar o espaço onde foi a danceteria e ganhou esta empresa cuja intenção é desenvolver um projeto na área do desporto, fazer um ginásio”, explicou o presidente da Câmara, Manuel Valamatos (PS).

- Publicidade -

Segundo o autarca apresentaram-se a concurso “cinco projetos todos na mesma área porque o caderno de encargos assim apontava. Desejamos sucesso”, concluiu.

Antes do verão de 2018, o mediotejo.net noticiava que o clube de diversão noturna Aquaclub fechava portas. Na época Luís Mateus, gerente do restaurante Aquapolis, assegurava que o espaço noturno encerrava e “sem perspetivas de reabertura”. Seis meses depois a Câmara Municipal de Abrantes decidiu, em reunião de executivo, aceitar a resolução do contrato de cedência de exploração do edifício.

O pedido de resolução do contrato de cedência de exploração do edifício situado no Aquapolis norte foi apresentado, a 13 de março de 2018, pela então empresa exploradora, Requinte Perfeito, Lda. “alegando fraca adesão” para a resolução do contrato celebrado em setembro de 2013 para cedência de exploração do edifício situado na margem norte do rio Tejo.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome