Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sábado, Outubro 23, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Diogo Pereira, o melhor bolseiro do Distrito Rotário 1960

Diogo Pereira, de 22 anos, natural de Abrantes, foi distinguido como o melhor bolseiro do Distrito Rotário 1960, em cerimónia ocorrida no passado sábado, 1 de abril, em Coimbra. Por ocasião da reunião do 58º aniversário da Fundação Rotária Portuguesa, o estudante, bolseiro do Rotary Club de Abrantes, foi homenageado e distinguido com um prémio monetário. Este reconhecimento serve de “combustível para a motivação”, assumiu.

- Publicidade -

Em conversa com o mediotejo.net, o jovem mostrou-se satisfeito com este reconhecimento, declarando que é “sempre bom quando reconhecem a nossa luta diária”. Para Diogo esta distinção pelo seu percurso meritório durante a licenciatura, em Ciência Política e Relações Internacionais, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, cuja média final foi de 18,6 valores.

A média final e o percurso de sucesso devem-se, segundo Diogo Pereira, não só ao gosto pela área mas também “pela persistência e automotivação diárias” com foco no objetivo.

- Publicidade -

Segundo o estudante “a autodisciplina é fundamental para podermos perseguir os nossos objetivos e, uma palavra que está tão em voga, os nossos sonhos”.

Foto: RCA

José Luís Silva, um dos membros da comissão responsável pela atribuição de bolsas do Rotary Club de Abrantes, explicou ao mediotejo.net que a decisão é tomada em reunião do clube, com aprovação do mesmo, ficando os membros da comissão encarregues de analisar as candidaturas dos estudantes.

“É um processo que envolve várias parcerias, envolve vários patrocinadores (empresas, instituições e pessoas singulares) que já perceberam como o RCA funciona e associam-se, fazendo contributos para a Fundação Rotária Portuguesa, que é quem nos dá apoio logístico, e depois nós distribuímos essas verbas pelos estudantes”, disse o responsável.

Os estudantes candidatam-se grande parte das vezes por iniciativa das escolas, mas também através do site institucional da autarquia.

José Luís Silva apontou dois critérios fundamentais para a atribuição de bolsas, considerando “o mérito dos candidatos, em que devem ter um mínimo de 14 valores de média de candidatura, seja do ensino secundário ou do ensino superior, e depois o rendimento do agregado familiar”.

O número máximo de bolsas atribuídas pelo Rotary Club de Abrantes em parceria com a Fundação Rotária Portuguesa é de 52 bolsas anuais, mas este ano foram atribuídas 47, dependendo muitas vezes estes números dos patrocínios, acrescentando José Luís Silva “o forte patrocínio da CM Abrantes”.

O RCA além de atribuir a bolsa aos estudantes intervém ativamente junto dos jovens bolseiros, que são “convidados a participar no curso de liderança, temos alguns encontros onde juntamos todos os intervenientes neste processo, patrocinadores, bolseiros, o Rotary Club de Abrantes e convidamos também outras pessoas a participarem nesta cerimónia”, caso dos jovens que participam no curso e do RAME.

Os jovens bolseiros acabam por não só receber a bolsa de estudos como também ter outros ganhos no âmbito de desenvolvimento pessoal e social, proporcionados no convívio e participação no curso de liderança e outros eventos do Rotary Club. “Regra geral, os participantes são inicialmente relutantes e no final do curso são todos militantes”, salientou.

“Um jovem singular” e que sabe aplicar na prática os conhecimentos que adquire, foi assim que José Luís Silva caraterizou Diogo Pereira. “Acaba por ser uma referência nos nossos encontros (…) para o RCA é um orgulho muito grande ter o melhor bolseiro do país, ficamos satisfeitos e também o homenageamos e prestamos a nossa homenagem pela forma como trabalha e pela intensidade, e por acreditar que com trabalho vai construir o futuro dele e vai conquistando o espaço dele. E faço votos que, terminando o curso, que ele tenha sucesso e que as expetativas dele sejam conseguidas”, referiu.

Diogo Pereira, melhor bolseiro do distrito 1960, entre os restantes (melhores) alunos distinguidos com a Bolsa dos Fundadores. Foto: Rotary Portugal

No decorrer da mesma sessão, além da entrega das bolsas aos melhores bolseiros de cada distrito rotário (distrito rotário 1960 de norte a centro do país e o distrito rotário 1970 até ao sul). Aos dois melhores bolseiros é atribuída a Bolsa Teixeira Lopes (atribuída a Diogo Pereira) e a Bolsa Casal Melichforam. Foram ainda entregues aos 10 jovens, considerados entre pares, como melhores alunos, as Bolsas dos Fundadores. Cada bolsa é constituída por quantia em dinheiro (500 euros), um diploma e o livro “Quadro de Honra” que reúne a história de cada um dos 10 fundadores da FRP, e dos dois instituidores dos prémios escolares que distinguem os dois melhores bolseiros da fundação (um de cada distrito rotário) bem como destaca o perfil dos estudantes que receberam as bolsas.

Na mesma noite, o rotário João Tavares fez uma intervenção alusiva à sua longa atividade como representante do Rotary Club de Abrantes à Fundação Rotária Portuguesa.

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome