Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Outubro 23, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Dia Mundial do Ambiente celebrado com iniciativas no Parque Tejo

No âmbito das comemorações do Dia Mundial do Ambiente, Abrantes recebe nos dias 5, 7, 8 e 9 de Junho, no Parque Tejo, em Rossio ao Sul do Tejo, uma série de iniciativas, organizadas pelo Município e pela Valnor.

- Publicidade -

Assim no dia 5 de junho decorre a iniciativa ‘Abrantes a Ler: Leitura Identidade e Cidadania’, baseado no livro ‘A Plantinha dos meus pais” de Manuela Ribeiro e Nídia Nair, com duas sessões, a primeira às 10h30 para o ensino pré-escolar e às 14h00 para o público sénior.

Dia 7 às 15h00 acontece a apresentação da ação de sensibilização ambiental ‘Gestão de Resíduos Urbanos: desenvolvimento ecológico e sustentável’. Uma apresentação dinamizada por Sandra Pedrogam da Valnor. Trata-se de uma iniciativa para a consciencialização ambiental para a valorização dos resíduos, fomentando hábitos na comunidade que potenciem a prevenção de resíduos, bem como a sua redução, reutilização e a reciclagem.

- Publicidade -

De dia 8 de junho a 31 de outubro de 2018 estará patente a exposição ‘As Plantas na Primeira Globalização’. Esta exposição organizada pelo IICT e inicialmente patente ao público no Jardim Botânico Tropical, baseia-se no livro ‘A Aventura das Plantas e os Descobrimentos Portugueses’ da autoria de José Mendes Ferrão e aborda a troca de plantas entre continentes no período dos Descobrimentos, uma das temáticas menos estudadas sob o ponto de vista agrícola, e com reflexos científicos, técnicos, económicos e sociais mais marcados e duradoiros.

Por último, no sábado dia 9 de junho, decorre a iniciativa ‘A Biblioteca ao Sábado’ com duas sessões, às 10h30 para crianças dos 3 aos 6 anos e às 11h30 para crianças dos 7 aos 10 anos. Baseado no livro ‘A Plantinha dos meus pais’ de Manuela Ribeiro e Nídia Nair. Esta atividade merece inscrição obrigatória.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome