- Publicidade -

Terça-feira, Dezembro 7, 2021
- Publicidade -

Abrantes | ‘Desenhos da minha rua e mais além’ na Biblioteca Municipal

A exposição ‘Desenhos da minha rua e mais além’ de Teresa Ruivo, integrada no evento Cadernos de Viagem de Abrantes, está patente ao público na Biblioteca municipal António Botto, em Abrantes, até ao dia 25 de maio.

- Publicidade -

Teresa Ruivo é psicóloga clínica e trabalha com crianças e adolescentes. Sem formação artística de base, começou em 2014 a desenhar por graça, sem ter a noção que o desenho viria a ser tão importante para si. Desde então traz sempre na sua mochila um caderno, onde faz registos descontraídos e imediatos, pois julga que só assim, com espontaneidade, se consegue captar a essência das coisas – dos lugares e das pessoas.

“Desenhos da minha rua e mais além” é uma mostra de desenhos desses lugares por onde passa, tanto à porta de casa como a milhas de distância nas viagens que tanto gosta de fazer como de planear, trocando o previsível pelo desconhecido e antecipando o prazer de ver e de descobrir coisas novas.

- Publicidade -

Em todos os lugares, porém, o que mais atrai o seu olhar são as pessoas cujas histórias, rotinas e pequenos gestos quotidianos enchem os seus cadernos. O tempo ensinou-lhe que o desenho tem um extraordinário poder de comunicação, quebra barreiras e aproxima as pessoas, mas tem também um imenso potencial social e humanitário e pode ser usado em benefício de alguém.

Nesta exposição mostra assim alguns dos desenhos que faz no Desenhar Contigo, um projeto que desenvolve com as crianças do Serviço de Pediatria do IPO de Lisboa. Se alguém lhe diz que não desenha porque não tem jeito, responde sempre: “Se eu consegui, todos conseguem!“

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome