Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Julho 25, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Trincanela

ABRANTES: Deputados do BE visitam obra que interrompeu o curso do Tejo

Os deputados do BE, Pedro Soares, presidente da Comissão Parlamentar de Ambiente e Ordenamento do Território, e Carlos Matias, eleito pelo círculo de Santarém, visitam terça-feira, às 11.15, a obra que interrompeu o curso do Tejo na zona de Abrantes.

- Publicidade -

A visita ao local decorre na sequência do requerimento do BE para que o presidente da Agência Portuguesa do Ambiente, entidade responsável pelo licenciamento da obra que atravessa o Tejo entre Mouriscas e o Pego, no concelho de Abrantes, se apresente no Parlamento para explicações.

Aquele requerimento é apreciado na comissão parlamentar no mesmo dia da visita.

- Publicidade -

A empresa que reabilitava um ‘travessão’ de pedra no rio Tejo, o qual impedia a circulação de água e de peixes, abriu entretanto, na passada quarta-feira, um canal de passagem que “normalizou a situação”, disse à Lusa fonte da Pegop.

“A pedido da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) abrimos na quarta-feira um canal para permitir a passagem de peixe e ficou assim reposta a circulação montante/jusante no rio Tejo, quer de peixe, quer de água”, garantiu o diretor de recursos humanos da Central Termoelétrica do Pego – Pegop, tendo observado, no entanto, que a solução “é provisória” e que a mesma não serve as necessidades da Central.

Esta terça-feira, “vamos ter uma reunião com responsáveis da APA para tentar encontrar uma solução técnica que satisfaça todas as partes”, adiantou José Vieira, tendo observado que uma das soluções pode passar por “voltar a fechar o canal agora aberto e rebaixar a zona das antigas escadas de passagem de peixe, para um nível mais consentâneo com o volume de água que hoje passa no Tejo”.

José Vieira, diretor de recursos humanos da Central Termoelétrica do Pego – Pegop -, lembrou que a obra de reparação está “devidamente licenciada” pela APA, tendo feito notar que a abertura deste canal “não serve nem resolve os problemas da Pegop, que precisa de mais água”.

*C/LUSA

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here