Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quarta-feira, Setembro 22, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | CRIA e o Grupo de Teatro Palha de Abrantes assinam protocolo de cooperação

O Centro de Recuperação e Integração de Abrantes (CRIA) e o Grupo de Teatro Palha de Abrantes (GTPA) vão assinar um protocolo de cooperação na terça-feira, dia 23 de julho, no auditório da sede do CRIA.

- Publicidade -

O grupo cultural assinalou 20 anos em atividade contínua no ano passado e quer dar aulas de formação teatral, captar novos atores para o grupo, e dar espetáculos regulares no novo espaço, para além de poder alargar a atividade a outras vertentes, como a dança.

Do lado do CRIA também há teatro. Em 1999 nasceu o CRIARTE, Grupo de Teatro do Centro de Recuperação e Integração de Abrantes, na sequência de um projeto de expressão dramática e criação teatral.

- Publicidade -

O nome escolhido para o Grupo de Teatro procurou sintetizar os objetivos que estiveram na sua origem. Partiu-se do CRIA e adicionou-se a Arte de bem representar. Nasceu o CRIARTE, um projeto de trabalho, transversal às diferentes valências que integram a Instituição e conta com o trabalho e envolvimento de utentes e técnicos.

O teatro, assim como as artes plásticas, surgem como ferramenta terapêutica e pedagógica, promovendo e dinamizando atividades artísticas e culturais, estimulando a criatividade, a sensibilidade e as emoções.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome