- Publicidade -

Abrantes: CRIA e CLDS 3G com II Feira do Emprego e Empreendedorismo

A II Feira do Emprego e Empreendedorismo de Abrantes decorre esta sexta-feira e sábado, no edifício sede da TagusValley, em Alferrarede, concelho de Abrantes, tendo a presidente da Câmara Municipal sensibilizado hoje os organismos e as empresas para a inclusão profissional de cidadãos portadores de deficiência.

- Publicidade -

Organizado pelo segundo ano consecutivo pelo CRIA e pela equipa de CLDS 3G do concelho de Abrantes, a iniciativa pretende dar “a oportunidade de contactar com Entidades Empregadoras Locais com ofertas de Emprego para o concelho de Abrantes e concelhos vizinhos. Além disso, poderá encontrar Ofertas Formativas e diversas Empresas de Trabalho Temporário”.

Vão ser promovidos inúmeros workshops gratuitos, nomeadamente sobre “Empreendedorismo Feminino”, dia 4 pelas 15h30, e sobre “Desmistificar a Empregabilidade em Pessoas com Deficiência/Incapacidade”, dia 5, pelas 14h30.

- Publicidade -

Decorreu esta sexta-feira a inauguração desta iniciativa promovida pelo CRIA – Centro de Recuperação e Integração de Abrantes. Foto: CM ABT
Decorreu esta sexta-feira a inauguração desta iniciativa promovida pelo CRIA – Centro de Recuperação e Integração de Abrantes. Foto: CM ABT

A Presidente da Câmara Municipal de Abrantes, Maria do Céu Albuquerque, esteve esta sexta-feira na inauguração desta iniciativa promovida pelo CRIA – Centro de Recuperação e Integração de Abrantes, no âmbito do programa de Contrato Local de Desenvolvimento Social, agora designado de 3ª Geração (CLDS-3G), tendo sensibilizado os organismos e as empresas para a inclusão profissional de cidadãos portadores de deficiência.

A II Feira de Emprego e Empreendedorismo de Abrantes está a decorrer no Edifício Sede da TagusValley, em Alferrarede, até amanhã, 5 de novembro. Na Feira, pode encontrar ofertas de emprego, ofertas formativas e entrar em contacto com empresas de trabalho temporário e voluntariado.

cria

 

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

- Publicidade -