- Publicidade -

- Publicidade -

Segunda-feira, Dezembro 6, 2021
- Publicidade -

- Publicidade -

Abrantes | CRIA de portas abertas à comunidade em feira de tradições e artesanato

Já arrancou, no átrio do CRIA, a Feira e Mostra de Produtos de artesanato e tradições locais, uma iniciativa que decorrer até dia 26 e que conta com organização da equipa de CLDS 3G gerida pela instituição. A iniciativa integra as atividades comemorativas dos 40 anos de atividade do CRIA. Nelson de Carvalho, presidente da direção da instituição, assume que ainda há muitos passos a dar no caminho da inclusão, nomeadamente quanto à empregabilidade de pessoas portadoras de deficiência, mas que o trabalho continuará a ser feito pelo CRIA, começando por abrir portas à comunidade e criando melhores condições de inclusão para os utentes no seu quotidiano e no futuro.

- Publicidade -

A feira, segundo explicou o responsável pelo CRIA, “acontece enquanto uma atividade que está no plano de ação do CLDS, um programa de intervenção comunitária que estamos a gerir pelo terceiro ano, e por outro lado, o CRIA faz 40 anos, e portanto também os diferentes serviços têm mensalmente desenvolvido atividades; o CLDS entendeu que esta é uma boa oportunidade para fazer o seu contributo para os nossos 40 anos, tendo esta exposição que vai aqui estar até ao próximo dia 26, e obviamente esperamos a visita dos nossos amigos, dos familiares, e das pessoas de Abrantes e outros concelhos, que queiram passar”, frisou.

Esta iniciativa consiste numa “feira de produtos locais e de atividade artesanal, associando à mostra e à possibilidade de evidenciar o negócio, chamando também a atenção para a criatividade” e dando a “possibilidade de fazendo produtos artesanais, poder ter uma atividade própria em vez de procurar emprego, criar o próprio emprego, e por isso temos connosco algumas instituições que gerem programas de incentivo a esta atividade”, explicou à comunicação social.

- Publicidade -

Foto: mediotejo.net

No que toca à empregabilidade de pessoas portadoras de deficiência, Nelson de Carvalho assumiu que a nossa sociedade “não é das sociedades mais inclusivas nessa matéria”, ao passo que “as sociedades nórdicas estão muitos anos à nossa frente”. Para o presidente da instituição “temos um longo caminho a percorrer, ainda há muitos preconceitos, muitas dificuldades, na empregabilidade de pessoas com este perfil”.

Ainda assim, a esperança prevalece, uma vez que, segundo o presidente da direção, “há muita gente a trabalhar nisso e isso vem favorecer as condições de inclusão e é esse também o nosso trabalho, por mais difícil que seja, e aqui estamos nós a trabalhar e continuaremos, pois queremos ser um elemento na promoção de uma sociedade inclusiva, é o nosso trabalho e estamos a fazê-lo.

No átrio estão representados produtores e empresários locais e regionais, caso da Retrosaria Gomes, Cervejaria Ermida, Colmeicentro, Saúde, Bem-Estar e Natura, o Atelier da Horta, Queijos Brejo da Gaia, Sofalca, Laurinda Rosa Coelho de Mação, Nuvem Mágica, Tramagalisses, Posto de Turismo de Mação, entre outros, estando ainda representando o azeite produzido no CRIA.

Foto: mediotejo.net

Também as entidades que gerem programas de incentivo à criação do próprio emprego participam nesta iniciativa, nomeadamente a CMA com o programa AbrantesInvest, a Tagusvalley, o IEFP, e a Tagus – Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Interior.

A iniciativa é aberta à comunidade em geral, não só de Abrantes, como dos concelhos limítrofes da região, nomeadamente aqueles em que o CRIA opera, caso de Sardoal, Mação, Constância.

Abrir portas à comunidade, diz Nelson Carvalho, é “fundamental”. “Nós temos procurado seguir essa linha de trabalho, abrir sempre as portas. O CRIA está aqui razoavelmente periférico, e portanto, é importante darmos informação, abrirmos portas, vamos divulgando muito na página de Facebook as atividades, queremos dizer sempre às pessoas que são aqui bem-vindas, então nestas ocasiões melhor ainda”, admitiu.

Ao CRIA as pessoas “são sempre bem-vindas”, disse, acrescentando que “faz parte da nossa política ser bons acolhedores da comunidade, para que nos conheçam melhor e com isso também criar uma melhor relação e melhores condições de inclusão para os nossos clientes”, terminou.

Na sessão de abertura estiveram presentes utentes e familiares, funcionários e colaboradores, bem como outros representantes, caso da vereadora com o pelouro da Ação Social da CM Abrantes, Celeste Simão, Bruno Tomás, presidente da UF Abrantes e Alferrarede, Vasco Estrela, presidente da CM Mação, Coronel César Reis, comandante do RAME, e Eduardo Mourinha, presidente da direção da União Distrital das Instituições Particulares de Solidariedade Social de Santarém.

Rancho Quinta das Pinheiras, do CRIA. Foto: mediotejo.net

O Rancho da Quinta das Pinheiras, constituído por utentes e ensaiado por duas colaboradoras do CRIA e que é já um ícone nas cerimónias de abertura da instituição, voltou a animar os presentes com coreografias assentes no tradicional folclore português, honrando a etnografia trajados a rigor.

 

Ler mais:

Abrantes | CRIA acolhe Feira e Mostra de artesanato e produtos locais

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome