Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Outubro 16, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes, Constância, Chamusca e Golegã beneficiam de apoios por causa da seca

O Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural considera que estão em situação de seca severa e de seca extrema mais 18 municípios, para além dos 60 já declarados nessa situação em junho. Daquele novo lote fazem parte os municípios de Abrantes, Constância, Chamusca e Golegã, a que se acrescenta Almeirim, Alpiarça, Cartaxo, Castelo Branco, Ponte de Sor, Salvaterra de Magos e Santarém, só para referir aqueles que são mais próximos.

- Publicidade -

A evolução da situação de seca registada no último mês levou o Governo a alargar a mais 18 municípios os apoios a agricultores com explorações situadas em concelhos em seca extrema ou severa, disponibilizando mais um milhão de euros, a juntar ao três milhões anunciados em junho, para apoiar os seus investimentos, informa o Ministério da tutela.

Os agricultores que tenham explorações nos 78 concelhos em situação de seca severa ou extrema podem desde já e até 16 de setembro apresentar as suas candidaturas, sendo as despesas elegíveis a partir da data da apresentação da candidatura.

- Publicidade -

“A par destas medidas, o Governo mantém aberta a linha de crédito ‘Alimentação Animal'”, destinada a apoiar os produtores pecuários, abrangendo a totalidade do território continental, e que tem ainda disponíveis cerca de 3,5 milhões de euros, é referido na nota.

No comunicado, o ministério tutelado por Capoulas Santos recorda também que o executivo já pôs em prática “um programa de derrogações autorizadas pela Comissão Europeia, que permitirão aos agricultores adotarem um conjunto de práticas sem penalizações na atribuição dos subsídios anuais” e “serão adiantados em 70% os pagamentos anuais das ajudas do I pilar da PAC e em 75% as ajudas do II pilar da PAC”.

C/ agência Lusa

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome