Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Domingo, Junho 13, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Comitiva do Portugal de Lés-a-Lés animou a cidade com as suas motos

Começaram a chegar por volta das 15h30. Apesar de algum cansaço, os motociclistas traziam estampada no rosto a satisfação por participar no maior evento mototurístico realizado no nosso País.

- Publicidade -

Organizado pela Federação de Motociclismo de Portugal, em conjunto com a Associação de Municípios da Rota da Estrada Nacional 2 (AMREN2) e com as autarquias que atravessa, o Portugal de Lés-a-Lés conta com a participação de cerca de 2.500 participantes, em 2.250 motos de várias cilindradas, marcas e modelos.

Depois de um primeiro dia com um Passeio de Abertura por terras transmontanas, os mototuristas rumaram a sul. A primeira etapa, colada ao percurso da Estrada Nacional nº2 (EN2), iniciou-se em Chaves e teve como ponto de chegada S. Pedro do Sul.

- Publicidade -

Foi dessa cidade do distrito de Viseu que pela manhã do dia 04 de junho, sexta-feira, as motos se fizeram de novo à estrada, com destino a Abrantes, com passagem por Viseu, Tondela, Mortágua, Santa Comba Dão, Penacova, Vila Nova de Poiares, Góis, Lousã, Pedrogão Grande, Sertã, Vila de Rei e Sardoal.

Representantes do poder local deram as boas vindas aos participantes, em Abrantes. Créditos: David Belém Pereira e Jorge Santiago/mediotejo.net

A recebê-los em Abrantes estava o Presidente da edilidade, Manuel Jorge Valamatos, acompanhado do Vice-Presidente da Câmara de Abrantes, João Gomes, juntamente com o Vereador da Cultura, Luís Dias, e o Presidente da Junta de Freguesia de Abrantes e Alferrarede, Bruno Tomás.

Manuel Jorge Valamatos destacou ter sido com “muita satisfação” que Abrantes acolheu este evento, com mais de 2 mil motards que estão a percorrer a Estrada Nacional 2: “Têm aqui uma oportunidade para ficarem a conhecer melhor a nossa cidade, as nossas gentes, os nossos produtos e a nossa gastronomia. Temos as nossas unidades hoteleiras e da região com uma taxa de ocupação de 100%, o que é muito importante para os nossos empresários”, vincou.

Manuel Jorge Valamatos congratulou-se com a boa organização do evento. Créditos: David Belém Pereira e Jorge Santiago/mediotejo.net

O presidente da Câmara congratulou-se com a boa organização no que diz respeito ao cumprimento das regras emanadas pela Direção-Geral da Saúde, sublinhando não haver grandes ajuntamentos, até porque os participantes foram chegando em pequenos grupos, ao longo de quatro horas.

Mas este Portugal de Lés-a-Lés é tão mais importante porque é um investimento de promoção de Abrantes a médio prazo, considera o edil, havendo a expectativa de que muitos destes participantes possam regressar à cidade noutras ocasiões, com a família e com mais tempo para conhecer toda esta zona.

No palanque onde se ia assinalando a chegada das centenas de participantes iam-se ouvindo línguas diversas, do castelhano ao inglês, do alemão ao italiano, numa comunhão fraterna de amantes das motos e dos prazeres da vida.

Na massa anónima, algumas figuras públicas iam atraindo atenções. Políticos como Carmona Rodrigues ou Rogério Bacalhau, o presidente da Câmara Municipal de Faro, o campeoníssimo em duas rodas Miguel Farrajota, entre outros.

A cantora Rita Guerra, pela sua beleza e simpatia, foi a figura mais requisitada para as fotos, para mais tarde recordar a passagem do 23º Portugal de Lés-a-Lés pela cidade de Abrantes.

A saída rumo a Faro, no percurso com maior distância, 390 Km, aconteceu na manhã deste sábado, tendo os motociclistas, após a partida no Largo 1º de Maio, passado na Fortaleza de Abrantes, saudando os anfitriões.

Com a chegada ao Algarve ficarão cumpridos mais de 1.000 Km desta edição de 2021 do Portugal de Lés-a-Lés, acompanhando o traçado da mítica EN 2, a maior estrada da Europa e a terceira maior do Mundo.

*Com David Belém Pereira (multimédia).

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome