Abrantes: Comissão Política do PSD apela à união para as Autárquicas 2017

Rui Manuel dos Santos é o presidente da Comissão Política Concelhia do PSD de Abrantes. Foto: DR

A Comissão Política da Secção de Abrantes do Partido Social Democrata (CPS) afirmou hoje, em comunicado, que “mantém a confiança em todos os seus autarcas eleitos em 2013 e que não discute problemas de foro interno na praça pública, tendo feito notar que, “apesar de vários pontos de vista, espera poder congregar em torno da candidatura autárquica de 2017 todos aqueles que queiram o melhor para o Concelho de Abrantes”.

O comunicado do PSD de Abrantes deriva de dias conturbados no seu seio, após um inesperado pedido de demissão da vereadora Elza Vitório, única eleita pelo PSD para a Câmara Municipal, do cargo que ocupava como vice-presidente na mesa da Assembleia de Secção do partido. A independente Margarida Togtema, líder da bancada social-democrata na Assembleia Municipal de Abrantes, por sua vez, assumiu ao mediotejo.net a “rutura total” com a Comissão Política Concelhia do partido, e outros dirigentes e eleitos pelo PSD manifestam-se publicamente e nas redes sociais no mesmo sentido. Em causa está a candidatura anunciada de António Castelbranco às autárquicas de 2017, um nome que a atual vereadora afirma “não se rever”. Armando Fernandes, histórico militante, desafia, por sua vez, os “descontentes”, a candidatarem-se por uma lista independente.

Questionado sobre esta matéria pelo mediotejo.net, Rui Santos, presidente da concelhia de Abrantes do PSD remeteu para um comunicado a emitir esta semana, e cujo conteúdo transcrevemos na íntegra:

COMUNICADO

No seguimento de recentes notícias que vieram a público na comunicação social, a Comissão Política da Secção de Abrantes do Partido Social Democrata (CPS) vem, por este meio, veicular o seguinte:

1º – A CPS, desde o primeiro momento em que assumiu a condução dos destinos do PSD em Abrantes, sempre pautou a sua atuação por princípios democráticos, cumprindo, escrupulosamente, as normas estatutárias e regulamentares do partido;

2º – A CPS afirma que este órgão de direção foi sempre um espaço de liberdade, onde todos, sem exceção, tiveram – e continuam a ter – a oportunidade de expor as suas ideias, as suas opções, as suas críticas, as suas preocupações, os seus elogios e os seus pensamentos; o mesmo acontecendo no plenário de militantes.

3- Sendo o PSD um partido plural e democrático, rico em ideias e opiniões consonantes e dissonantes, todos têm o direito de expressar o seu pensamento, devendo, porém, acatar e aceitar a vontade das maiorias;

4- A Comissão Política de Secção do PSD de Abrantes tem, desde o início das suas funções, orientado todo o seu percurso pela transmissão de confiança no trabalho realizado pelos eleitos nas listas do partido, militantes e independentes, que se comprometeram com uma estratégia política e com as normas estatutárias internas, e será sempre com essa confiança que poderão contar não só todos os eleitos pelo PSD de Abrantes, mas também todos os seus militantes e simpatizantes;

5- A CPS mantém a confiança em todos os seus autarcas eleitos em 2013, esperando que estes possam, até final do mandato, trabalhar com o partido para pormos em prática as nossas ideias para o Concelho de Abrantes;

6- A CPS, apesar de vários pontos de vista, espera poder congregar em torno da candidatura autárquica de 2017 todos aqueles que queiram o melhor para o Concelho de Abrantes.

7- No que toca assuntos do foro interno do PSD, a bem de Abrantes e do projeto político do partido para o Município, a CPS não tece qualquer comentário na praça pública, estando sempre disponível para debater, nos locais próprios, qualquer assunto tido por pertinente pelos seus militantes.

Abrantes,08/11/2016

O Presidente da CPS/PSD DE ABRANTES

(Rui Manuel Baptista dos Santos)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here