- Publicidade -

Abrantes | CHMT revela “preocupação” com movimentos de recolha de bens alimentares

O Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT), na sequência de notícias veiculadas nos últimos dias sobre diversos movimentos de solidariedade de recolha de bens alimentares para apoio aos profissionais de saúde, de vários hospitais do SNS, manifestou hoje a sua “preocupação pela possibilidade de estas ações potenciarem o risco de contágio e transmissão do vírus SARS-Cov-2”.

- Publicidade -

Em comunicado, a administração do centro hospitalar, que agrega os hospitais de Abrantes, Tomar e Torres novas, diz que “a situação da evolução pandémica na Região é muito grave, pelo que todos os cidadãos devem cumprir o confinamento que está em vigor. Todos os contactos que se estabelecem fora dos agregados familiares são de risco muito elevado, pelo que se apela mais uma vez para que todos restrinjam os contactos ao essencial”, apela.

Neste momento, sublinha, “o maior ato de solidariedade que os cidadãos podem demonstrar aos profissionais de Saúde é o cumprimento, rigoroso, do confinamento”.

- Publicidade -

Na nota informativa pode ainda ler-se que “em nenhuma ocasião este Centro Hospitalar ou os seus profissionais manifestaram necessidade de bens alimentares ou quaisquer outros.
Acresce ainda que, no caso da Unidade Hospitalar de Abrantes e na sequência do encerramento do bar da Liga por situações que se prendem com os seus funcionários, o CHMT abriu um serviço de bar que funciona desde a passada semana no espaço do refeitório”.

No que diz respeito ao envolvimento da Liga de Amigos do Hospital de Abrantes com este movimento o Conselho de Administração dá conta que “irá amanhã, segunda-feira, contactar a referida Liga para aferir o envolvimento da mesma e os seus objetivos face a esta campanha e os riscos para a saúde pública que ela pode acarretar na atual incidência da pandemia”.

Tendo feito notar que “o Centro Hospitalar do Médio Tejo,EPE, tem recebido, desde o início da pandemia, todas as dádivas que têm chegado, de forma controlada aos Serviços de Logística, oferecidas por inúmeras entidades empresariais e sociais”, o CHMT “agradece o carinho manifestado por todos os cidadãos promotores destas iniciativas”, mas reitera que “o momento atual que vivemos obriga a um maior rigor e salvaguarda quer dos profissionais de saúde, quer dos próprios cidadãos”.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).