- Publicidade -

Abrantes | Cervejas artesanais, do próprio concelho, prontas para o verão

A degustação de cervejas artesanais marcou no sábado a atividade regular de dinamização do Mercado Municipal de Abrantes, com sessão de apresentação de inspirações internacionais, propriamente “americana” e “belga”. A cerveja artesanal “Ermida”, através do seu idealizador e produtor, Rui Reis, apresentou duas das cervejas artesanais que, segundo ele, vão marcar este verão.

- Publicidade -

“Para este verão idealizei dois novos estilos de cerveja, tendo por base algumas receitas amplamente conhecidas a nível internacional”, explicou o produtor artesanal.

A “Apa, uma cerveja muito limpinha, dourada, cítrica, com pouco teor de amargor” e com “7% de grau alcoólico” e “a Belga Nuit, uma cerveja de trigo, portanto, mais encorpada e com colarinho cremoso, e também é loira. Não é muito amarga, é mais forte, e não é na condimentação. Tem sabor alaranjado, tem uma ligeira acidez que vai dar frescura”, disse Rui Reis, disponibilizando as cervejas ao publico presente para degustação.

- Publicidade -

Momento da degustação das cervejas artesanais Foto: mediotejo.net 

Numa bancada, onde algumas cervejas artesanais estavam expostas, em mini garrafas e garrafas tradicionais, estavam também as amostras dos condimentos, utilizados no fabrico da bebida.

“Água, vários tipos de malte, desde maltes mais claros e maltes mais escuros. Em função das taxas de incorporação dos maltes, podemos criar cervejas mais claras ou mais escuras e também com aromas diferentes”, observou o produtor.

Condimentos utilizados na fabricação das Cervejas Artesanais Foto: mediotejo.net

A fermentação alcoólica da cerveja é feita através da levedura, que converte todos os açucares que está no malte em “alcool, CO² e aromas”, de acordo com o fabricante.

“A Ermida é uma cerveja artesanal feita em Abrantes, comecei a fazer esta cerveja em 2012, depois fui dando a provar a alguns amigos, as pessoas começaram a gostar e foi muito rápido para passar para a comercialização. Houve a necessidade de legalizar a cerveja, legalizar o espaço na autarquia, na autoridade tributária e aduaneira e em 2014 comecei a produzir e a comercializar legalmente”, contou Rui Reis, que hoje vende as cervejas, tanto online, como nos comércios locais na região do Médio Tejo.

As cervejas foram oferecidas livremente aos participantes para degustação, e já no final todos estavam a provar o produto artesanal, conversando de maneira descontraída, e apreciando as “loiras”, como foram apelidadas as duas variedades de cervejas.

Vinicius Alevato, 30 anos, estudante de comunicação, está a aprender a
observar uma região com o olhar atento aos factos. Acredita no
jornalismo de proximidade e na importância de servir as pessoas através
da boa informação.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

- Publicidade -