Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Quarta-feira, Setembro 22, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Central do Pego volta a ser assunto em Assembleia Municipal (C/ÁUDIO)

A Central Termoelétrica do Pego voltou a ser assunto na Assembleia Municipal de Abrantes. O deputado municipal do PSD, João Salvador Fernandes, pediu um ponto de situação ao presidente da Câmara, Manuel Jorge Valamatos (PS), que traçou uma espécie de ‘fita do tempo’ do trabalho desenvolvido, desde que tomou posse como presidente da autarquia.

- Publicidade -

Recentemente a Câmara Municipal de Abrantes reuniu com técnicos da Secretaria de Estado da Energia para debater o processo de concurso público e respetivo caderno de encargos para a reconversão da Central Termoelétrica do Pego.

Na sexta-feira, 10 de setembro, o deputado do PSD, João Salvador Fernandes, pediu um ponto de situação sobre a Central do Pego e criticou o presidente por “de sessão de AM em sessão de AM, o sr. presidente vem aqui e tenta vender-nos os méritos da biomassa que são extremamente discutíveis”, afirmou, acusando de seguida o Bloco de Esquerda de querer encerrar a Central.

- Publicidade -

ÁUDIO | JOÃO FERNANDES, DEPUTADO DO PARTIDO SOCIAL DEMOCRATA:

 

“O senhor está a brincar comigo ou quê? Sabe quantas horas é que tenho a menos de sono no trabalho que tenho tido com a Central do Pego? Não vendo nada nem compro”, respondeu Manuel Jorge Valamatos, agastado com a declaração do deputado do PSD.

O presidente acrescentou que dois dias depois de assumir funções reuniu com a Tejo Energia para se inteirar sobre o assunto que considera de “extrema relevância” não só para Abrantes mas também para a região. “Durante dois anos trouxe este assunto sempre como prioritário”, declarou.

Manuel Jorge Valamatos explicou que o projeto que a Tejo Energia tinha para a Central “era a reconversão da central em várias fases, a primeira fase utilizando a biomassa para não desmantelar e deixar de haver continuidade de trabalho, mantendo as 150 pessoas em causa sempre a trabalhar, e depois chegar ao hidrogénio, metano e outras fontes de energia”.

Há três meses “fui surpreendido com um telefonema do sr. secretário de Estado a dizer que precisava urgentemente de falar comigo: temos um problema enorme, os acionistas desentenderam-se”.

O autarca reiterou que a Câmara quer manter o valor do ponto de injeção de energia e manter os postos de trabalho, mas lembra ser um assunto de privados “demasiado sério”, que não deveria ser utilizado para fazer “politiquice”.

ÁUDIO | MANUEL JORGE VALAMATOS, PRESIDENTE CM ABRANTES:

Recorda-se que Manuel Jorge Valamatos disse na semana passada ao mediotejo.net que, no âmbito da criação de um caderno de encargos, a autarquia enviou através de ofício “pontos” considerados pertinentes – mas que neste momento estão em processo confidencial.

Tratou-se de “uma reunião técnica, na sequência de várias reuniões que tivemos com o sr. secretário de Estado João Galamba, para analisar o caderno de encargos para este concurso”, onde também compareceram representantes da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo e do sindicato dos trabalhadores da Central Termoelétrica do Pego, explicou ao nosso jornal o presidente do município de Abrantes.

ÁUDIO | ARMINDO SILVEIRA, DEPUTADO DO BLOCO DE ESQUERDA:

O deputado Pedro Grave (BE) também respondeu ao deputado do PSD esclarecendo que a posição do Bloco de Esquerda “é pública, é factual, tem sido de extrema responsabilidade em relação a este assunto. Ninguém nos ouviu falar aquilo que o senhor afirmou. […] reunimos com os representantes da Central onde fomos informados dos planos, temos aguardado com serenidade, temos feito as perguntas na Câmara através do vereador. Não estamos a exigir absolutamente nada, só queremos saber o que vai acontecer”.

No início de junho, o ministro do Ambiente e da Ação Climática, Pedro Matos Fernandes, confirmou ao mediotejo.net que, perante o desacordo entre os principais acionistas da Tejo Energia, seria perdido o direito ao ponto de injeção à rede elétrica, o qual seria atribuído por concurso público em setembro.

A Endesa pretende apresentar-se sozinha no concurso público para a futura exploração, como revelou em entrevista ao mediotejo.net o presidente da empresa espanhola, havendo também essa intenção anunciada pela Trust Energy, acionista maioritário do consórcio que até agora geria com a Endesa a última Central a carvão do país, e que será desativada em novembro deste ano.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome