Abrantes | Carteiros “nunca estiveram em contacto” com profissional infetado – Delegada de Saúde (c/áudio)

A Delegada de Saúde Pública do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo assegurou que os carteiros em Abrantes nunca estiveram em contacto com um colega profissional infetado, tendo em conta que o mesmo estava de férias, refutando qualquer situação de risco quer para profissionais quer para clientes.

PUB

Maria dos Anjos Esperança disse ao mediotejo.net que as declarações do delegado sindical dos carteiros em Abrantes “não são verdadeiras” porque o mesmo sabia que o carteiro que acusou positivo estava de férias desde o dia 14 de outubro. “Uma pessoa ausente do serviço desde o dia 14 não pode contagiar ninguém no dia 20 nem no dia 21, nem hoje”, afirmou, criticando “afirmações que podem levar ao medo. Não temos de ter medo, temos de ser responsáveis”, vincou.

PUB

“Pôr medo nas pessoas de que os carteiros possam estar a contagiar alguém não é admissível”, reforçou, tendo dado conta que todos os carteiros, à exceção do caso confirmado, “estão a trabalhar e não estão em isolamento profilático”.

“Ligar para a Linha Saúde 24 que, inadvertidamente, põe as pessoas em isolamento, dará jeito para quem não quer trabalhar. Mas não é assim que o país anda para a frente”, disse a responsável.

A deteção de um caso de infeção pelo novo coronavírus entre os carteiros do Centro de Distribuição Postal dos CTT de Abrantes gerou preocupação nos cerca de 30 profissionais da empresa, que disseram saber apenas na quarta-feira da situação e relatado ao mediotejo.net falta de informação sobre como proceder.

Na quarta-feira os trabalhadores telefonaram para a linha Saúde 24 tendo alguns deles recebido indicação para ficarem em casa e outros para trabalharem normalmente, relatou Paulo Fontinha, delegado sindical. As autoridades de saúde locais entraram em contacto com os trabalhadores na quinta-feira tendo dado indicações para que se apresentem ao serviço.

Paulo Fontinha, carteiro e delegado sindical em Abrantes, disse na quarta-feira ao mediotejo.net que a situação era preocupante pela falta de informação, por não saberem se estiveram em contacto direto com o carteiro infetado, pelo facto de estarem 30 carteiros juntos quando se inicia o período de distribuição postal, e com medo por estarem em contacto diário direto com centenas de pessoas e com instituições a quem poderiam estar a transmitir o vírus a familiares e clientes sem saber.

Uma acusação que a Delegada de Saúde hoje desmentiu.

PUB
Mário Rui Fonseca
A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.
PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).