- Publicidade -

Abrantes | Câmara Municipal apoia SAT com 18 mil euros

A Sociedade Artística Tramagalense (SAT) vai ser apoiada pelo Município de Abrantes em 18 mil euros. O objetivo passa por apoiar a concretização e concertação de “um conjunto de ações e de iniciativas de comum interesse”, justificou o executivo na última reunião de Câmara. O montante foi aprovado por unanimidade.

- Publicidade -

Durante a reunião o presidente explicou que a atribuição deste apoio está relacionada com “as dinâmicas que antes da covid-19 tínhamos vindo a implementar naquele espaço cultural de excelência que precisou de melhorias para ter capacidade de funcionamento e estaremos atentos a novas possíveis candidaturas de valorização daquele espaço”.

Assegurou a continuidade de apoio à SAT “porque independentemente do Cineteatro São Pedro estar aberto ou não a SAT tem de funcionar, o território tem de estar democraticamente disponível do ponto de vista cultural, desportivo e social. A SAT é uma estrutura importantíssima na comunidade do Tramagal”, considerou Manuel Jorge Valamatos.

- Publicidade -

O Bloco de Esquerda manifestou-se através do vereador eleito, Armindo Silveira, dizendo votar favoravelmente a proposta, e feito notar “haver uma grande disparidade ao nível das despesas de manutenção e despesas correntes em diversas associações do concelho de Abrantes, pois umas possuem imóveis próprio, outras imóveis arrendados e outas imóveis cedidos pelas Juntas de Freguesia e outros cedidos diretamente pelo Município. A desigualdade é evidente e as receitas da associações cada vez são mais escassas”

Neste sentido “por uma clarificação dos apoios que a Câmara Municipal disponibiliza, seja a nível financeiro ao a nível de imóveis, pagamento de eletricidade e água, é urgente o processo de revisão do Finabrantes esteja concluído o mais rapidamente possível” no sentido de evitar “suspeitas de favorecimento ou não. Situação que em nada beneficia a necessária estabilidade destes processos”.

Perante a exposição do vereador bloquista, o presidente recusou fazer “qualquer comentário” mas ainda garantiu que a Câmara trata todas as coletividades “de igual para igual. Temos um programa de financiamento que é bem claro e transparente” no apoio às associações sociais, culturais e desportivas. “Não há equívocos! Alguém só por maldade poderá ter outro tipo de interpretação. Na política não vale tudo!”, disse.

Armindo Silveira indignou-se com a afirmação da “maldade” ao que o presidente pediu desculpa no caso de ter “interpretado mal”.

A coletividade da vila de Tramagal teve o empresário Eduardo Duarte Ferreira um dos seus grandes impulsionadores. A SAT é conhecida na comunidade como ‘Catedral da Cultura’, com uma escola de música, um grupo coral, grupos musicais e um grupo de teatro amador em atividade, além de um espaço convívio.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

- Publicidade -