Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Setembro 27, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | “Câmara dos Jovens” toma posse em fevereiro de 2020

O projeto “Câmara dos Jovens” foi apresentado no dia 30 de outubro, durante as Jornadas da Educação de Abrantes, consistindo num projeto que pretende envolver e valorizar a opinião dos jovens através de exercícios de participação cívica junto da governação local.

- Publicidade -

Os jovens podem “candidatar-se” e ser “eleitos” para uma câmara, assumindo uma participação ativa nas decisões políticas do seu concelho. Serão porta-vozes dos seus pares, sendo corresponsáveis pela gestão de um orçamento que lhe será atribuído, numa lógica de diálogo e sustentabilidade.

Qualquer jovem com idade compreendida entre os 14 e 21 anos, natural ou residente em Abrantes (mesmo que se encontre fora do concelho) ou que estude num dos estabelecimentos de ensino do concelho, há pelo menos um ano, pode fazer parte de uma das listas candidatas à “Câmara dos Jovens” e ser eleito para cumprir o mandato de um ano.

- Publicidade -

Fases do Projeto:

Fase 1 – 30 de outubro a 15 de novembro de 2019

Sensibilização e divulgação
Recenseamento dos jovens participantes – dirigido a jovens que residam no concelho de Abrantes, mas não estudem nas escolas aderentes ao projeto “Câmara dos Jovens”

Fase 2 –16 de novembro a 17 de dezembro 2019
Apresentação e verificação de candidaturas

Fase 3 – 18 de dezembro de 2019 a 19 de janeiro
Preparação da campanha eleitoral
Campanha eleitoral
Debate com a participação dos media locais

Fase 4 –20 a 26 de janeiro de 2019
Período de reflexão

Fase 5 – 27 de janeiro a 7 de fevereiro de 2020
Período de votação online
Período de votação presencial – mesas de voto nas escolas

Fase 6 – dia 10 de fevereiro de 2020
Apresentação dos resultados e tomada de posse do executivo da câmara dos jovens.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome