Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Outubro 25, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Câmara avança esta semana com contrato de comodato para o São Pedro

A Câmara Municipal de Abrantes encontra-se a “ultimar” uma proposta de contrato de comodato para o Cineteatro São Pedro, em Abrantes. A proposta será enviada ainda esta semana à sociedade comercial Iniciativas de Abrantes, garantiu a presidente da Câmara em reunião de Executivo.

- Publicidade -

A Câmara Municipal de Abrantes encontra-se a “ultimar uma proposta de protocolo tendo por base os pareceres jurídicos da autarquia”, disse esta terça-feira, 27 de novembro, a presidente Maria do Céu Albuquerque (PS). Adiantou que “esta semana” será remetida a proposta à sociedade comercial Iniciativas de Abrantes, proprietária do Cineteatro São Pedro. Deu conta ainda ao Executivo do agendamento de uma reunião para “continuar a discutir com a entidade” a proposta agora elaborada.

Maria do Céu Albuquerque entendeu “não ser oportuno tornar público” a proposta da Câmara no sentido de ser conhecida em primeiro lugar pela sociedade comercial. No entanto, em declarações ao mediotejo.net, indicou tratar-se de um novo contrato de comodato, ou seja, para cedência do Cineteatro. “Foi isso que a sociedade nos pediu e é isso que estamos a fazer”, afirmou.

- Publicidade -

Na realidade, nos últimos 10 meses quando terminou o contrato de comodato de cedência do Cineteatro São Pedro que a CMA mantinha através de um protocolo com a sociedade comercial Iniciativas de Abrantes, Lda., proprietária da sala de espetáculos, no processo negocial foram apresentadas três propostas mas nenhuma delas aprovada até ao momento.

“A aquisição do imóvel; a sociedade realizar as obras necessárias e alugar o espaço à Câmara de Abrantes; e um contrato de comodato onde a Câmara por um período de tempo suficiente para rentabilizar o investimento que tem de fazer em obras e adaptações exigidas para o equipamento servir o fim a que se destina” recorda Maria do Céu Albuquerque.

Segundo a presidente “a sociedade não tem reunidas condições neste momento para fazer a alienação daquele património” e nessa sequência “propôs que trabalhemos um contrato de comodato”. No entanto, a Câmara continua a manifestar interesse na compra do imóvel. A alienação “é desde o primeiro momento a primeira opção”, vinca.

A Câmara Municipal de Abrantes havia já proposto, em maio último, comprar o Cineteatro São Pedro por 267 mil euros, estabelecendo o contrato promessa de compra e venda que a vendedora receberia, a título de sinal, 67 mil euros, sendo pago o remanescente (200 mil euros) no ato da escritura pública de compra e venda, a realizar 6 meses após a assinatura do contrato promessa, mas recebendo a recusa da sociedade Iniciativas de Abrantes do valor proposto pelo Município colocou-se a hipótese de avançar com uma proposta de comodato semelhante ao anterior.

Terminou no dia 28 de janeiro deste ano 2018 o contrato de comodato de cedência do Cineteatro São Pedro que a CMA mantinha através de um protocolo com a sociedade comercial Iniciativas de Abrantes, Lda., proprietária da sala de espetáculos. O contrato havia sido celebrado por um período de 19 anos, com gestão municipal do imóvel, visando a reabilitação do teatro.

Em 1999 a Câmara assumiu, em parceria com o governo central, a reabilitação do imóvel que, segundo explicou ao mediotejo.net o vereador Luís Dias, “estava em estado de ruína”. A sociedade Iniciativas de Abrantes, Lda, reunida em Assembleia Geral de 28 de janeiro de 2018, recusou as propostas então apresentadas pela autarquia.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome