Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sexta-feira, Setembro 17, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Câmara aprova subsídio de 20 mil euros à Associação Vidas Cruzadas

A Câmara de Abrantes aprovou hoje a atribuição de um montante de 20 mil euros à Associação Vidas Cruzadas com vista à substituição da cobertura do edifício onde tem sede, em Tramagal, no antigo Jardim de Infância, espaço que foi cedido pela autarquia.

- Publicidade -

Segundo a presidente da Associação Vidas Cruzadas, neste momento, e tendo em conta que se trata de um edifício centenário a precisar de manutenção, “é imprescindível que seja substituída toda a cobertura, para resolver os problemas graves de infiltração” que existem no espaço.

Vânia Grácio deu conta ao mediotejo.net que “há paredes com grandes fissuras devido às infiltrações e problemas na instalação elétrica que já resultaram em avarias nos equipamentos informáticos”, pelo que “é necessário resolver esta situação com urgência, uma vez que se aproxima o inverno”, notou.

- Publicidade -

Com sede em Tramagal mas com atividade de cariz social em toda a área do concelho de Abrantes, a Associação Vidas Cruzadas tem vindo a efetuar obras de requalificação no edifício. Foi realizada a pintura exterior do edifício, foram substituídas portas e janelas e será ainda este ano feito o isolamento térmico da cobertura.

Com sede em Tramagal mas com atividade de cariz social em toda a área do concelho de Abrantes, a Associação Vidas Cruzadas tem vindo a efetuar obras de requalificação no edifício. Foto: DR

Nesse sentido, aproveitando a intervenção de isolamento térmico do telhado, a Associação solicitou o apoio do município para substituir toda a cobertura do edifício, solicitação aprovada por unanimidade em reunião de executivo.

O orçamento total das obras já realizadas e a realizar somam um valor aproximado de 38 mil euros, sendo que a Associação submeteu candidaturas ao Fundo de Eficiência Energética, tendo recebido um apoio de 1000€ para o isolamento térmico da cobertura e aguarda aprovação de outra candidatura que poderá vir atenuar o investimento já realizado na substituição de portas e janelas. Do mecenato, nomeadamente da empresa Pegop, recebeu um apoio de 2000€.

Para além de ser a sede social da Associação Vidas Cruzadas, é desenvolvida neste espaço a Loja Social.

Vânia Grácio, presidente da direção, disse ainda ao mediotejo.net que “a Loja Social é já uma referência a nível regional,  com uma resposta social aberta à comunidade no geral”, e que “faculta roupa, calçado entre outros artigos a quem precisa, ou a quem, numa atitude de sustentabilidade e consciência ambiental, prefere este conceito de aquisição de roupa e calçado”, contando ainda neste serviço com a possibilidade de deslocação à maioria das freguesias de Abrantes para levar estes artigos a quem precisa deles, com o apoio das juntas de freguesia.

“Este contacto com o município veio no seguimento das obras que foram já realizadas” notou Vânia Grácio, tendo defendido ser “fundamental que se mantenha este edifício, tão estimado pela comunidade tramagalense”.

O apoio hoje concedido por unanimidade à Associação, para obras num edifício que é propriedade do município, mereceu ainda palavras de elogio da dirigente associativa, tendo referido que a autarquia “veio mostrar, mais uma vez, estar sensível ao trabalho realizado e que está ao lado das instituições, numa postura de cooperação para com a sociedade civil”.

“Com estas intervenções quisemos também honrar a palavra dada aquando da assinatura do protocolo de cedência das instalações, estimando e preservando o património que é de todos nós”, concluiu.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome