Abrantes | Câmara aprova cessação de protocolo do Projeto Bairro ConVida

O executivo municipal de Abrantes aprovou por unanimidade a cessação do protocolo relativo ao Projeto Bairro ConVida, implementado em Vale de Rãs. A vereadora Celeste Simão, responsável pelo pelouro de Ação Social, explica que “cumpridos os objetivos” os vários parceiros do Projeto concluíram que o mesmo “tem de ser reformulado” com o objetivo de o “alargar” a outros locais.

PUB

A vereadora Celeste Simão (PS) assegurou em reunião de executivo, na terça-feira, 7 de julho, que no Projeto Bairro ConVida os objetivos propostos “foram cumpridos” e que a ideia passa agora por “novas ações”, ou seja reformular e alargar o projeto a outros locais, “com os atuais ou com novos parceiros”.

A decisão resultou “das reuniões de monitorização do Projeto com todos os parceiros envolvidos. Chegou-se à conclusão que tem de ser reformulado e tem de ter uma abrangência maior. Sair daquela zona e alargar o Projeto a outros locais” disse falando de consenso entre todos os parceiros e acrescentando que “terminando o projeto temos de cessar o protocolo”.

PUB

A fase seguinte passa pela “análise e diagnóstico” para que o projeto amplie a sua implementação noutros locais fora de Vale de Rãs. “Ali importa preservar o apoio ao estudo e o acompanhamento daqueles miúdos que já frequentavam a sala de apoio ao estudo, o que vai continuar a acontecer” garante Celeste Simão.

Da parte do Bloco de Esquerda, o vereador Armindo Silveira refere a necessidade “de uma informação mais aprofundada” e um “relatório” daquilo que foi a intervenção social no bairro.

PUB

Celeste Simão esclarece que “falta a avaliação final do Projeto. O relatório final virá depois porque neste momento as entidades estão a apresentar o fecho de contas” lembrando que o projeto “funcionava por semestres, fechando a parte financeira também por semestre”. O relatório aprovado pelos parceiros será mais tarde apresentado em reunião de executivo, explica a vereadora socialista.

Por seu lado, o presidente da Câmara, Manuel Jorge Valamatos (PS), referiu que o Projeto chega ao fim também pela “necessidade de repensar algumas das estratégias mas também pela dificuldade com todos aqueles edifícios arrendados pela Câmara. Temos de nos desligar deles porque entraram noutro processo de arrendamento” sem interesse para o Município.

O Projeto Bairro ConVida surgiu no ano 2014 integrando dois grandes eixos – Intervenção Comunitária e Revitalização Social e Económica.

Os parceiros deste projeto são a Câmara Municipal de Abrantes (entidade gestora), a União de Freguesias de Abrantes e Alferrarede, a EPDRA – Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Abrantes, a Associação Vidas Cruzadas, a Associação Juvenil Vale de Rãs, a TAGUS – Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Interior e a Cres.ser – Associação de Desenvolvimento Pessoal e Comunitário, que possuem competências distintas por forma a assegurarem o desenvolvimento das atividades do projeto.

PUB
Paula Mourato
A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).