Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Sábado, Outubro 23, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Abrantes | Câmara aprova apoio de incentivo a trabalho qualificado no Parque Tecnológico

Na reunião do Executivo Municipal de Abrantes realizada na terça-feira, 23 de junho, foi aprovada a candidatura apresentada pela empresa ADFLEX, UNIPESSOAL LDA., no valor de 6.990,00 euros, repartido por três anos económicos, no âmbito do programa municipal de incentivo à criação de postos de trabalho qualificado para empresas instaladas no Parque Tecnológico do Vale do Tejo, em Alferrarede.

- Publicidade -

Na sequência das candidaturas apresentadas e aprovadas, esta empresa conta até agora com apoio municipal de incentivo ao emprego qualificado relativo a três postos de trabalho, totalizando 22.980,00 euros.

A ADFLEX é uma empresa criada em 2019 no ecossistema do Parque Tecnológico Vale do Tejo. É a sucursal em Portugal da FLEX MULTIMEDIA GROUP SA., uma multinacional com sede na Suíça e com agências no Luxemburgo e em Barcelona. Presta serviços de marketing digital, consultoria em tecnologias da informação e desenvolvimento de estudos de mercado em vários domínios, com o objetivo de promover as vendas e o desenvolvimento de novos produtos.

- Publicidade -

Desde que entrou em vigor o Regulamento de Emprego Qualificado no Parque Tecnológico do Vale do Tejo, em 2017, a Câmara já apoiou 16 postos de trabalho, com valor total aprovado de mais de 98.000 euros. Neste momento existe mais uma candidatura em análise, avança o Município em nota de imprensa.

Este incentivo municipal é traduzido na atribuição de uma comparticipação financeira ao salário base mensal do posto de trabalho suportado pela empresa, por um prazo máximo de 2 anos por posto de trabalho apoiado (1º ano até ao limite de 500 euros e segundo ano até ao limite de 250 euros).

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome