- Publicidade -

Sexta-feira, Janeiro 21, 2022
- Publicidade -

Abrantes | Brunheirinho e Vale de Horta, duas aldeias unidas no Orçamento Participativo (C/VIDEO)

Os habitantes das aldeias de Brunheirinho e Vale de Horta, na freguesia de Bemposta, uniram-se em prol de um objetivo comum e desenharam um projeto que candidataram à edição deste ano do Orçamento Participativo de Abrantes. A proposta nº 13, de entre as 21 a concurso, a votação até dia 15, pede a votação dos munícipes para a reabilitação de 2600 metros de uma estrada em terra batida e quase intransitável, um projeto que os proponentes dizem que, se for um dos contemplados, pode “ajudar a evitar a morte” das duas aldeias.

- Publicidade -

No documento que circula nas aldeias e em outros lugares do concelho, apelando ao voto na proposta nº 13, os cidadãos lembram que “por estradas e caminhos se deslocam meios de segurança e meios de socorro, que é junto de estradas e caminhos que se fixam as pessoas, se fundam lugares, se criam as aldeias”. Por outro lado, sublinham, “as estradas e caminhos intransitáveis inviabilizam comunicações, asfixiam os lugares e matam as aldeias”.

“A desertificação do interior não resulta apenas da ausência de fábricas, de equipamentos públicos e de lazer. No interior, tão importante como isso, são as vias de comunicação. Transitáveis! O posicionamento sobre um itinerário transitável e não ser o fim da linha, pode ajudar a fintar o destino”, observam os promotores, apelando aos cidadãos que, com o seu voto, “ajudem a fintar a desertificação e a salvar estas duas aldeias”.

- Publicidade -

“Será esse o caso de Brunheirinho e Vale de Horta se os 2.600 metros de estrada do nosso lado, que as liga a Vale de Bicas, no concelho vizinho, forem arranjados”, pode ler-se no comunicado, sendo ainda sublinhado que “é um bocado de estrada que, se arranjado, faria toda a diferença” e significariam “muitos quilómetros de felicidade ”.

Os habitantes das aldeias de Brunheirinho e Vale de Horta, na freguesia de Bemposta, uniram-se em prol de um objetivo comum e desenharam um projeto que candidataram à edição deste ano do Orçamento Participativo de Abrantes. Foto: mediotejo.net

Desde o dia 1 de agosto e até 15 de setembro está aberto o período de votação pelos cidadãos, para a eleição das propostas apresentadas ao Orçamento Participativo (OP), promovido pela Câmara Municipal de Abrantes. Nesta 2ª edição, foram apresentadas 29 propostas, das quais 21 reúnem os critérios previstos nas normas do programa, estando agora a votação.

- Publicidade -

Na fase da votação, cada cidadão inscrito terá direito a dois votos, os quais devem ser usados em projetos diferentes.  Segundo o regulamento do OP, podem votar todos os cidadãos com idade igual ou superior a 18 anos, naturais ou residentes no concelho de Abrantes.

A maioria das propostas de intervenção apresentadas pelos cidadãos incide em áreas de intervenção com vista à pratica de lazer (desporto e cultura); intervenção em espaço público, ambiente, rede viária, recuperação de património, educação e saúde.

O Orçamento Participativo é uma ferramenta que delega nos cidadãos a decisão relativamente ao que fazer com uma parte do Orçamento do Município, sendo que para a edição de 2017/2018, a Câmara de Abrantes disponibiliza 350 mil euros.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome