Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Terça-feira, Novembro 30, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | BE diz que “ninguém enfrenta o poder das celuloses” face à poluição no Tejo

A deputada do BE Mariana Mortágua considerou este sábado, dia 2 de dezembro, em Abrantes, que “o combate à poluição no rio Tejo não se faz porque ninguém tem coragem para enfrentar as indústrias de celulose”, dirigindo críticas ao PSD e ao Ministério do Ambiente.

- Publicidade -

“Estamos hoje aqui para prestar contas sobre o esforço e a luta do BE no combate a esta chaga da poluição que se faz muito sentir nesta zona do rio Tejo”, disse Mariana Mortágua à agência Lusa, criticando o PSD, que age nesta matéria “conforme os ventos”, e o ministro do Ambiente, ao considerar que o “combate à poluição não se faz porque ninguém tem coragem para enfrentar o poder das indústrias de celulose e das grandes empresas”, a nível local e nacional.

Combate à poluição no Tejo não se faz porque “ninguém enfrenta o poder das celuloses”, afirmou hoje a líder parlamentar do BE em Abrantes. Foto: mediotejo.net

- Publicidade -

Em declarações no âmbito da sessão pública “Contra a Poluição no Tejo – Por uma consciência ambiental”, que hoje decorreu no Parque Tejo, em Rossio ao Sul do Tejo, Mariana Mortágua criticou o deputado do PSD Duarte Marques, eleito por Santarém, referindo ser “muito fácil agitar um papel e dizer que quer mais dinheiro para fiscalização, quando foi o PSD que votou contra a imposição à Celtejo da redução dos níveis de poluição para valores decentes. O mais difícil é chegar aqui e enfrentar as grandes empresas”.

O deputado bloquista Carlos Matias, por seu turno, referiu que a Celtejo, empresa de celulose instalada em Vila Velha de Rodão, “tem uma licença especial para que possa poluir acima daquilo que o Tejo comporta, produzindo mais do que a capacidade instalada para tratar dos efluentes que lança no rio”.

Para Carlos Matias, “o que é necessário é fazer diferente”, tendo lembrado que o BE vai levar novamente o Projeto de Resolução para a redução de produção na Celtejo ao Parlamento, na terça-feira. Foto: mediotejo.net

Para Mariana Mortágua, “tudo isso define a coragem, o timbre e a ideologia de cada partido”, tendo assegurado, perante cerca de uma centena de pessoas, entre pescadores, autarcas, ambientalistas e populares, que o BE vai manter uma “guerra sem quartel e sem medos de enfrentar os grandes interesses económicos” para a defesa do Tejo.

Na sessão de hoje intervieram também Joana Pascoal, deputada na Assembleia Municipal de Abrantes, e o vereador Armindo Silveira, ambos eleitos pelo BE.

O deputado Carlos Matias aproveitou para lembrar que o BE vai levar novamente a debate no parlamento o Projeto de Resolução para a redução de produção na Celtejo, na terça-feira.

“A cumplicidade com a poluição está nesta licença passada à Celtejo, e é uma licença que tem de ser alterada, e esperemos que o PSD vote agora favoravelmente”, afirmou.

Agência de Notícias de Portugal

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome