- Publicidade -

Quarta-feira, Janeiro 26, 2022
- Publicidade -

Abrantes | BE denuncia “atentado ambiental a céu aberto” no Vale da Fontinha (C/VIDEO)

O Bloco de Esquerda denunciou à comunicação social, através de comunicado e de conferência de imprensa na tarde desta terça-feira, uma situação que diz “não poder aceitar” e que coloca “em causa a saúde pública”. O esgoto está a alimentar a linha de água no Vale da Fontinha, onde surgiram “restos de papel higiénico e dejetos” que se acumulam em várias zonas, provocando “um cheiro nauseabundo” e “é a custo que se evita o vómito em tal cenário”. Segundo o partido, esta situação prende-se com o processo de há 8 anos, quando havia feito conferência no mesmo local por se encontrar no centro da cidade “um esgoto a céu aberto”. O BE acusa os executivos municipais do PS de “ausência de consciência ambiental” e diz não acreditar nem na Câmara, nem na APA, para resolução desta questão ambiental.

- Publicidade -

Em declarações ao mediotejo.net, o porta-voz do BE de Abrantes referiu que “a situação arrasta-se, pelo menos, desde 2009”, acrescentando que “há alturas em que as pessoas se queixam que se nota mais”.

“A vegetação era tão densa, que não se conseguia lá chegar”, notou, alertando que é uma “situação que o BE já tinha detetado há muito tempo e que é do conhecimento geral”.

- Publicidade -

Armindo Silveira assumiu que fez, a título pessoal e enquanto membro da Assembleia Municipal de Abrantes, uma queixa à PSP e ao IGAMAOT (Inspeção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território). Caso não se verifique solução ou preocupação perante o alertado, o partido pondera “fazer perguntas diretamente ao Ministério do Ambiente”, à semelhança do que tem feito noutro casos do concelho, por exemplo o açude insuflável, o travessão do Pego, o aterro intermunicipal de Abrantes.

“A CMA tem conhecimento destas situações, algumas é ela própria que origina, e as coisas quando não são visíveis, a Câmara deixa arrastar, até que depois haja situações como esta”, disse.

- Publicidade -

Para Armindo Silveira, a Câmara não tem tratado o BE de “forma responsável”, tanto a autarquia como outras instituições. “Neste momento, achamos que a CM não é responsável (…) Não confiamos na CMA nas questões do ambiente”, afirmou.

O deputado municipal e também candidato à CM de Abrantes, Armindo Silveira, efetuou visita na sexta-feira passada, com um cidadão queixoso, àquele local, e registou em vídeo o estado daquela linha de água.

O mediotejo.net contactou a Câmara, na pessoa do vereador responsável pelo pelouro do Ambiente, Manuel Valamatos, que negou a existência de atentado ambiental naquele local.

“Não há atentado nenhum. Eu tenho conhecimento que houve um questão no coletor, e que originou uma descarga pelo tubo. Mas não se trata de uma coisa continuada, trata-se de um episódio circunstancial, em que a Abrantáqua diz que inclusivamente aparecem pedras no coletor, o que os deixou surpreendidos e acham até que há ali um ato de negligência… Não conseguem perceber como aparecem pedras no coletor”, explicou, notando que a Câmara está a “averiguar” e que aguarda a chegada de mais informação por parte da Abrantáqua, acrescentando estar em “articulação com a Agência Portuguesa para o Ambiente, para tentar perceber o que aconteceu ali verdadeiramente”.

“Aquilo trata-se de uma situação circunstancial, e não se trata de nenhum atentado ambiental, porque isso implicaria que o esgoto estivesse a céu aberto, a todo o tempo, ali naquela linha de água, o que não é o caso”, justificou.

Manuel Valamatos deu conta ainda que aquela zona é tratada pela ETAR da Fonte Quente, e que “a Abrantáqua se encontra a ligar intercetores e a optimizar a ETAR dos Carochos, que está do outro lado”, insistindo que “não existe razão nenhuma para se pensar que existe ali um atentado ambiental, pelo contrário, as coisas ali estão bem tratadas e bem organizadas, houve foi um episódio acidental”, terminou.

Armindo Silveira diz que “é ver para crer” e que o seu partido está farto que digam “o caso está sinalizado e em análise”. “Nós não podemos continuar a permitir este tipo de discurso, pois são casos de saúde pública (…) as próprias terras estão a ser contaminadas por esta linha de água”.

Também os candidatos do Bloco de Esquerda à Assembleia Municipal e à União de Freguesias de Abrantes e Alferrarede, Pedro Grave e Miguel Moreira, estiveram presentes na conferência.

O BE de Abrantes realizou conferência de imprensa nesta terça-feira à tarde no Vale da Fontinha, denunciando uma situação anormal com escoamento de materiais na linha de água adjacente à zona traseira do antigo Mercado Municipal. Foto: mediotejo.net

Pedro Grave reforçou aquilo que Armindo Silveira havia dito, declarando que “há 8 anos atrás estivemos aqui nesta mesma situação, e estava como está agora. Não há grandes diferenças, se houver, é para pior”. O candidato assumiu que o partido irá “até onde for necessário, porque isto não pode continuar de maneira nenhuma. É um atentado ambiental”, concluiu.

Também Miguel Moreira, candidato à UF Abrantes e Alferrarede, entende que “este tipo de episódios marcam a diferença entre as sociedades que são desenvolvidas e evoluídas, e aquelas em que se passa o contrário. E em Abrantes, se queremos ser uma sociedade virada para o futuro, evoluída, não podemos continuar a ter este tipo de acontecimentos aqui no centro da cidade, prejudicando o meio ambiente, os nossos solos e linhas de água, o nosso rio, que é um recurso tão importante e valioso”.

Segundo o candidato bloquista se quem está à frente dos destinos do concelho “não consegue resolver estes problemas, nós estamos aqui precisamente para dizer que conseguiremos fazer esse trabalho”.

Vídeo: Declarações dos membros do BE de Abrantes na conferência de imprensa que decorreu esta terça-feira à tarde, no Vale da Fontinha, em Abrantes.

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome