Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Quarta-feira, Dezembro 1, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | BE critica governo por gestão do processo da Central do Pego

A deputada do Bloco de Esquerda eleita pelo círculo eleitoral de Santarém, Fabíola Cardoso, criticou hoje o governo tendo afirmado que este tem gerido o processo de encerramento da Central do Pego “sem preocupações sociais, desprotegendo os trabalhadores”.

- Publicidade -

A parlamentar, em nota de imprensa, relembra que “o Bloco acompanha o assunto desde 2019 e sempre exigiu soluções que compatibilizem a necessária descarbonização da produção energética, com a proteção dos interesses da região e dos trabalhadores”.

A deputada bloquista manifesta-se “solidária” com os 150 trabalhadores que se vêm ameaçados pelo desemprego causado pelo encerramento da central, afirmando que “qualquer solução de futuro para a Central do Pego deve ser pensada em termos de sustentabilidade ambiental, social e económica” e acrescentado que “para proteger os trabalhadores, mais uma vez se prova a necessidade de reverter as leis de trabalho impostas por Passos Coelho e mantidas agora pelo PS”, lê-se ainda na mesma nota.

- Publicidade -

A deputada do BE Fabíola Cardoso. Créditos: DR

Os bloquistas já reuniram anteriormente com o Siesi – Sindicato das Indústrias Eléctricas do Sul e Ilhas, da CGTP-IN, responsável pela convocação do protesto do passado sábado, junto à autarquia de Abrantes.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome