Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sexta-feira, Outubro 22, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Autarquia não quer teatro novo e mantém aposta na reabilitação do São Pedro

O cineteatro São Pedro continua encerrado e nas mãos dos seus proprietários, a sociedade denominada ‘Iniciativas de Abrantes’, tendo a presidente da Câmara Municipal reiterado o interesse nas negociações, que terão conhecido poucos desenvolvimentos nos últimos tempos, e a vontade de adquirir e remodelar o cineteatro de Alferrarede, para requalificação.

- Publicidade -

Na última reunião de executivo, a propósito da pergunta do vereador do PSD, Rui Santos, sobre “qual o ponto da situação” e se “até ao final do ano vamos ter novidades”, Maria do Céu Albuquerque foi taxativa: “não, não vamos. Aliás, na última reunião que tivemos, houve aqui uma inflexão, talvez, por parte da sociedade, que já volta a pôr em primeiro lugar um novo protocolo”, referiu. Mais informo a autarca socialista que, “neste momento, estamos a aguardar porque, em bom rigor, aquilo que pode estar em cima da mesa é fazermos um novo protocolo que não é aquilo que mais nos interessa, de qualquer modo, vamos continuar a acompanhar. E como diz e bem, nós não temos pressa, não temos urgência, e, portanto, não estamos a balizar no tempo e a calendarizar a resolução desta questão”.

No final da reunião, a presidente da autarquia foi questionada pelos jornalistas sobre o processo negocial: “o que eu disse é que as negociações continuam e que estamos a aguardar também uma proposta concreta por parte da sociedade para nos podermos pronunciar, sendo que agora voltou a estar em cima da mesa o fazer um novo protocolo à semelhança daquele que foi feito há 18 anos a esta parte. Não há proposta em concreto”, avançou, dando conta de um novo interlocutor no processo, por parte da ‘Iniciativas de Abrantes’.

- Publicidade -

Questionada se, depois de a Câmara de Abrantes ter assumido que o interesse era a compra do edifício, estaria agora disponível para dar um passo atrás no sentido de acolher outra proposta, Maria do Céu Albuquerque frisou que “não, porque não é um passo atrás. Nós, na altura, fizemos a nossa… a Câmara de Abrantes foi a única parte a apresentar proposta, e a nossa proposta tinha três condições. Cada uma delas valia por uma opção: ou um novo protocolo, ou um aluguer daquele espaço, sendo que as obras necessárias seriam encargo da sociedade, ou a aquisição. E, portanto, não há aqui um passo atrás, porque a nossa proposta eram três hipóteses e portanto….”

O protocolo que a Sociedade ‘Iniciativas de Abrantes’ quer, alegadamente, voltar a fazer, faz parte de uma dessas propostas, disse a autarca, tendo acrescentado que a Câmara ainda não aceitou “porque ainda não nos fizeram a proposta concreta, e só agora isso voltou a estar em cima da mesa”, tendo reiterado que o processo vai demorar “o tempo necessário para salvaguardar o interesse dos munícipes de Abrantes”.

A autarca disse ainda que a autarquia “encontra-se neste momento também em negociação para aquisição do cineteatro de Alferrarede e para fazer a sua reabilitação e pô-lo ao serviço da comunidade abrantina”, e que existe neste momento uma proposta em cima da mesa. “Não é um processo fácil, porquanto são muitos associados e há um processo de partilhas inerente a isso mesmo, mas vamos conseguir chegar a bom porto em breve.

Reabilitar os dois espaços culturais continua a ser prioridade da Câmara de Abrantes, vincou Maria do Céu Albuquerque deixando claro que a construção de um novo cineteatro em Abrantes não faz parte das opções políticas.

“Está fora de questão. Não faz sentido nenhum. Isso é absolutamente contraditório àquilo que é a nossa estratégia de reabilitação urbana”, frisou.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome