Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Quarta-feira, Junho 23, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Autarquia apresenta contas de 2020 com poupança de mais de 7 milhões de euros

As contas da Câmara Municipal de Abrantes relativas ao ano de 2020 foram apresentadas durante a última reunião do executivo e revelaram uma poupança corrente superior a 7 milhões de euros, mais 21% do que no ano anterior. A prestação de contas do ano passado revelou também um resultado líquido positivo de 1.626.056,96 euros, mais 57% do que no exercício de 2019. A Câmara apresenta um prazo médio de pagamento a fornecedores a 4 dias.

- Publicidade -

Os documentos de Prestação de Contas do Exercício 2020, do Município de Abrantes e dos Serviços Municipalizados de Abrantes (SMA), estiveram em análise na última reunião do Executivo municipal, realizada a 18 de maio, e foram aprovadas por unanimidade.

No que se refere às contas da autarquia, Manuel Jorge Valamatos (PS), presidente da Câmara Municipal de Abrantes, falando da receita e despesa total, destacou a poupança corrente de 7.307.265,00 euros, mais 21% do que no ano 2019, tendo feito notar uma capacidade que “permite continuar a investir com receita própria” e que o documento é ”extremamente importante para percebermos a análise geral” das contas.

- Publicidade -

A taxa de execução global da receita situou-se nos 104%. Já o montante total da despesa foi de 73%, mais alta do que no ano anterior, havendo um crescimento da despesa total de 1,4%, destacando-se “a despesa com pessoal, mais 9%” relacionada, segundo o presidente, com “o reajuste dos salários dos trabalhadores”.

Por outro lado, o autarca deu conta da diminuição da despesa de capital em 1,3%. Na ótica das Grandes Opção do Plano nas despesas com atividades foram executados mais de 5.8 milhões de euros, ou seja 56% de taxa de execução. “Devido à situação de pandemia houve muitas atividades que não se realizaram”, sublinhou Valamatos, sendo o investimento de 6.6 milhões de euros, mas com uma redução de 4,7% e com uma taxa de execução de 71%. O extra plano (despesas correntes) cifrou-se nos 13.276.451,71 euros.

Relativamente ao peso da despesa executada por unidade orgânica verifica-se que a Divisão do Conhecimento continua a ter um valor de execução superior na ordem dos 20%, seguida da Divisão do Ambiente, depois a GAP, Divisão de Cultura e Turismo e proteção Civil com maior volume financeiro.

Prestação de Contas de Abrantes

Na execução de projetos com maior peso no investimento de 2020, a maior fatia financeira vai para os arruamentos, perto dos dois milhões de euros, seguido das escolas, acima de um milhão de euros, e depois o MIAA, com cerca de 1 milhão de euros.

Na repartição da despesa executada no extra-plano em 2020, 64% vai para o pessoal, 14% para aquisição de bens e serviços, seguida do serviço da dívida com 10%.

Já sobre as Juntas de Freguesias, com transferências de 2.5 milhões de euros, Manuel Jorge Valamatos afirma haver uma situação “mais ou menos equilibrada”, sendo certo que a maior transferência vai para a União de Freguesias de Abrantes e Alferrarede, no valor de 693.438,00 euros, seguida de Bemposta com 229.975,00 euros, depois Tramagal com 216.550,00 euros, sendo a transferência menor para Fontes com 90.968,00 euros.

Relativamente à situação do endividamento, o presidente referiu como “aspeto importantíssimo” o abatimento da dívida no valor de 1.314.000,00 euros, “nos nossos empréstimos, que é muito substancial”, uma redução de 38%. Atualmente a dívida da Câmara é de 2.146.930,50 euros e apresenta um prazo médio de pagamento a 4 dias.

Em resumo da contabilidade financeira, tendo em conta os principais indicadores, o resultado liquido do exercício é positivo em mais 57% , ou seja, 1.626.056,96 euros.

“Veio contrariar aquilo que era o nosso receio, porque mudando os sistemas de gestão financeira de normalização contabilística poderíamos dar um saldo liquido do exercício diferente. Felizmente não. Se tivéssemos o sistema anterior porventura iríamos ter um resultado liquido superior mas este é um excelente resultado que nos deve deixar a todos orgulhosos”, afirmou o autarca.

Foram igualmente aprovados, por unanimidade, os documentos de prestação de contas do exercício 2020 dos SMA – Serviços Municipalizados de Abrantes que apresentou um resultado líquido positivo de 63.899,00 euros.

Na apresentação das Contas dos SMA, Manuel Jorge Valamatos destacou os projetos mais relevantes como sejam a remodelação da rede de distribuição de água na Rua do Moinho de Vento, Rua José Torres Pereira, Rua Arminho da Velha e Rua da Bela Vista, em Tramagal.

Destacou ainda a conclusão da remodelação da rede de distribuição de água na Rua Principal, em Abrantes, a reabilitação do reservatório de água e estação elevatória de São Facundo, a reabilitação da conduta que atravessa o açude, que permite o abastecimento de água ao sul do concelho a partir da Albufeira de Castelo de Bode, a requalificação das redes de distribuição e condutas adutoras em diversas localidades, a continuação da renovação do parque de contadores de água, a continuação da execução do plano de eficiência energética e a continuação da campanha de sensibilização ambiental na área dos RSU (Resíduos Sólidos Urbanos).

No que toca aos Resíduos Sólidos Urbanos foram 13.766 toneladas depositadas em aterro, mais 2% do que no ano anterior, percentagem que o presidente justifica com a situação de pandemia e com o confinamento. “Com as pessoas em casa houve muito mais lixo produzido, mas em termos de recolha de monos e verdes está a aumentar de forma muito exponencial e já que temos esse serviço que seja bem utilizado pelas pessoas, o aumentar dos serviços (mais 49,5%) tem maior exigência sobre os nossos serviços mas é importante no que toca ao Ambiente”, notou.

Os dados orçamentais dos SMA revelam uma receita arrecadada no total de 5.607.650,00 euros, com uma taxa de execução de 101,5%, havendo uma poupança corrente de 839.715,00 euros e um saldo para a gerência seguinte de 924.774,00 euros.

O presidente deu ainda conta que o A.Logos pela primeira vez revela um resultado positivo de 24.315,48 euros e que a Tagusvalley volta a apresentar um resultado negativo “mas muito menos negativo do que nos últimos anos e com uma capacidade de investimento elevada. Desejamos que nos próximos anos possamos ter resultados menos negativos e nos possamos aproximar de resultados positivos”, afirmou.

Os documentos de Prestação de Contas do Exercício de 2020 (Município e SMA) que englobam o Relatório de Gestão, Demonstrações Financeiras, Mapas de Execução Orçamental, Anexos às Demonstrações Financeiras e outros documentos de suporte voltarão a ser apreciados e votados em sede de Assembleia Municipal de Abrantes.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

2 COMENTÁRIOS

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome