Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Quinta-feira, Agosto 5, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes: Assembleia Municipal aprova orçamento de 26,6 milhões para 2016

As Grandes Opções do Plano da Câmara Municipal de Abrantes foram aprovadas por maioria na Assembleia Municipal de Abrantes realizada na sexta-feira à noite, no auditório do Edifício Pirâmide. O documento, que traduz-se numa verba a rondar os 26 milhões de euros, contou com o voto contra do deputado do BE, 5 votos contra do PSD e 2 abstenções, e abstenção do CDS e da CDU.

- Publicidade -

“É um exercício difícil “, salienta Maria do Céu Albuquerque, presidente da Câmara Municipal de Abrantes, referindo-se ao orçamento camarário para o próximo ano que apresenta uma redução de 4% relativamente ao orçamento de 2015, o que se traduz em cerca de um milhão de euros a menos nas contas da autarquia.

A autarquia espera arrecadar cerca de 23 milhões de euros em receitas correntes (mais 6% quando comparado com orçamento de 2015) e cerca de 3 milhões e 600 mil euros em receitas de capital, que representam um decréscimo de 29% quando comparado com o exercício de 2015. As despesas correntes para 2016 serão de 18 milhões e 400 mil euros (menos 6% que me 2015) e as despesas de capital ascendem a 8 milhões e 100 mil euros, ainda que este seja um valor 37% mais baixo quando comparado com orçamento de 2015.

- Publicidade -

A presidente da autarquia elencou alguns dos projetos inseridos no Orçamento para 2016 e lembra o investimento a efetuar em 2016 na requalificação do Colégio de Fátima, instituição que assinala este sábado 75 anos. “A este propósito dizer que vai decorrer um convívio com ex-alunas e outras pessoas que passaram pela instituição e que tem cerca de 400 pessoas inscritas”, destacou Maria do Céu Albuquerque, ela própria uma ex-aluna da instituição que será, em 2017, o novo Centro Escolar de Abrantes.

Com um orçamento de 26 milhões e 600 mil euros, a grande fatia da despesa, mais de sete milhões de euros (28% do orçamento) vai para assegurar as despesas com pessoal, seguindo-se a aquisição de serviços (6 milhões e 800 mil euros) e as transferências correntes (3 milhões e 700 mil euros).

As escolas do ensino básico (melhoria nos espaços exteriores dos centros escolares e conservação de edifícios), despesas com aquisição de equipamentos e software informático e a rede viária são as áreas que irão receber mais investimento camarário durante 2016. Sobre o peso grande de investimento em equipamento informático, Maria do Céu Albuquerque explicou que isso se prende “com a aquisição de serviços e equipamentos informáticos para, a partir do próximo ano, equipar o edifício do Colégio de Fátima que será o novo Centro Escolar de Abrantes”.

Entre os grandes projetos previstos, Maria do Céu Albuquerque destaca a intervenção no Vale da Fontinha que será o espaço que passará a albergar a feira anual de São Matias e o mercado semanal, bem como intervenções na rede viária e os projetos de reabilitação urbana como sejam a recuperação do Convento de São Domingos, edifício Carneiro, Castelo e o seu Jardim e ainda as intervenções de recuperação nas igrejas de S. Vicente, de S. João e de Santa Maria do Castelo, que aguardam ainda aprovação das candidaturas aos fundos comunitários do Portugal 2020.

A autarca destaca intervenção no Largo 1º de Maio e a construção de uma casa mortuária junto ao Tribunal.

Serviços Municipalizados de Abrantes (SMA)

O orçamento para 2016 dos Serviços Municipalizados de Abrantes (SMA), no valor de 4 milhões e 835 mil euros, foi aprovado por maioria, contando apenas com um voto contra.

Dos investimentos previstos para 2016, os de montante mais significativo reportam-se ao abastecimento de água ao sul do concelho, a partir da Albufeira de Castelo do Bode. No âmbito desta obra estruturante para otimizar a qualidade do serviço de abastecimento de água e proporcionar às populações uma melhoria significativa na sua qualidade de vida, em 2016 está prevista a execução por administração direta dos traçados adutores entre o Vale das Donas e o reservatório de São Miguel do Rio Torto, entre o reservatório de São Miguel e o de Tramagal e entre o nó de Tramagal e Crucifixo.

Para além destes investimentos em “alta”, os SMA vão continuar a investir anualmente cerca de 200 mil euros na renovação/remodelação das redes de distribuição domiciliária de água mais antigas e ramais de ligação em várias localidades do concelho, nomeadamente em Alferrarede, Mouriscas, Rio de Moinhos, Pego, entre outras.

Para a melhoria dos sistemas, estão previstos trabalhos de substituição de adutoras aos reservatórios de Casais de Revelhos e de Casa Branca e a reparação dos reservatórios de distribuição na Barrada, Vale de Açor, Atalaia, Matagosa, Ventoso, São Facundo, entre outros. Já para combater as perdas de água, está prevista a instalação de um projeto-piloto de telecontagem recorrendo à tecnologia mais avançada existente no mercado, bem como implementar o plano de segurança da água.

Já no setor dos resíduos sólidos urbanos (RSU), os SMA comprometem-se a melhorar o serviço prestado. A aquisição de uma nova viatura de recolha equipada com sistema de lavagem entrará em funcionamento nos primeiros meses de 2016. Uma solução de gestão de frota para tornar o serviço mais eficiente e a realização de uma campanha de sensibilização ambiental integram os projetos em carteira para o próximo ano.

Em 2016 vai manter-se a política social de acesso à água para todos através de tarifários especiais às quais podem aderir os agregados familiares economicamente mais desfavorecidos. Os tarifários específicos para famílias numerosas também se vão manter, pode ler-se no documento dos SMA agora aprovado.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome