- Publicidade -

Abrantes: Assembleia Municipal aprova alienação do terreno das antigas piscinas

A sessão ordinária da Assembleia Municipal de Abrantes desta sexta-feira, dia 17, terminou mais tarde do que muitas das iniciativas das Festas que marcaram a rotina do concelho nos últimos dias. Entre os 11 pontos da Ordem de Trabalhos destacou-se a discussão em torno da proposta de alienação dos terrenos das antigas piscinas e o contrato que associa a coleção privada de Figueiredo Ribeiro à Galeria Municipal Quartel suscitou críticas das bancadas da oposição.

- Publicidade -

O período de Antes da Ordem do Dia e o ponto 2 da Ordem de Trabalhos da sessão da Assembleia Municipal de Abrantes contribuíram para que esta durasse cerca de cinco horas. No primeiro momento destacou-se o contrato que associa o colecionador privado Figueiredo Ribeiro à Galeria Municipal Quartel e no segundo a proposta de alienação do terreno das antigas piscinas à Sociedade STAROTEIS – Sociedade Hoteleira Unipessoal, Lda. por cerca de €5.800,00.

A assinatura do contrato com Figueiredo Ribeiro, colecionador das obras de arte contemporânea patentes na Galeria Municipal Quartel desde o passado dia 4 de junho, foi apontada como uma “valorização da cultura” nas intervenções da bancada do PS. No entanto, a perspetiva socialista foi desvalorizada pelos deputados da oposição que alertaram para a participação de privados na gestão pública, nomeadamente Elsa Lopes, da CDU, e Armindo Silveira, do BE.

- Publicidade -

Em resposta, a presidente da autarquia, Maria do Céu Albuquerque, salientou que a parceria público-privada apontada pelos deputados não existe e que a “cultura municipal” não foi entregue “ a quem quer que seja”.

A chegada ao período da Ordem do Dia ocorreu duas horas depois do início da sessão, altura em que Maria do Céu Albuquerque sugeriu a troca dos dois primeiros pontos da Ordem de Trabalhos, passando a ser o primeiro a proposta de alienação do terreno das antigas piscinas à STAROTEIS, avaliado em mais de €700.000,00.

A minuta da escritura de compra e venda foi aprovada na reunião camarária realizada no passado dia 6 de junho com os votos contra dos vereadores da CDU e do PSD e a intenção de voto de ambos os partidos manteve-se nesta sessão da Assembleia Municipal.

A proposta do executivo camarário suscitou dúvidas nas bancadas da oposição e não reuniu consenso geral, sendo aprovada por maioria com nove votos contra (quatro do PSD, quatro da CDU e um do BE) e quatro abstenções (três do PSD e uma do PS).

José Santos, representante da STAROTEIS, esteve presente na sessão da Assembleia Municipal para prestar esclarecimentos e respondeu às questões colocadas pelos diversos deputados municipais, saindo do Edifício Pirâmide antes da votação deste ponto.

Margarida Togtema, líder da bancada do PSD, fez a intervenção mais incisiva, criticando a entrega dos terrenos das antigas piscinas à entidade cuja recusa de entrega dos terrenos do Bairro Vermelho, no âmbito do projeto de construção do novo hotel de Abrantes que nunca chegou a sair do papel e custou alguns milhares de euros ao erário público.

As Festas do Concelho foram tema recorrente nas diversas intervenções da noite e esta sessão da Assembleia Municipal ficou marcada pela aprovação por unanimidade da atribuição de um Voto de Louvor à Comissão responsável pela organização das Comemorações do Centenário da elevação de Abrantes a cidade.

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

- Publicidade -