Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Outubro 23, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Assembleia aprovou voto de pesar pela morte de Mário Soares

Na passada sessão de assembleia municipal, realizada esta sexta-feira, no Edifício Pirâmide, em Abrantes, foi aprovado por unanimidade o voto de pesar pelo falecimento do ex-Presidente da República, Mário Soares. António Mor, presidente da mesa de assembleia, citou voto de pesar de Jorge Sampaio, e recordou relação “fraterna” de Mário Soares com o concelho de Abrantes.

- Publicidade -

António Mor começou por fazer referência a Mário Soares como sendo “um dos homens que mais marcaram a construção e consolidação da democracia portuguesa, de que hoje Portugal usufrui”, fazendo ainda notar a relação com a cidade de Abrantes.

“A sua relação com o nosso concelho, o concelho de Abrantes, foi sempre fraterna, tendo marcado presença em muitos dos momentos de afirmação da cidade enquanto cidade de referência no panorama regional e entre outras, recordamos a sua presença na qualidade de Presidente da República nas cerimónias oficiais dos 75 anos de Elevação de Abrantes a cidade”, recordou.

- Publicidade -

António Mor citou ainda o elogio fúnebre redigido pelo também ex-Presidente da República, Jorge Sampaio. “Com o desaparecimento de Mário Soares fecha-se um ciclo da nossa história. Importa agora saber imortalizar a sua memória e o seu legado. Que esses, perdurarão para além do tempo dos homens. Importa pois perpetuá-lo, com a mesma pujança e o sentido íntegro e pleno da democracia e da liberdade, que sempre moldaram o seu gosto intenso pela vida»”, citou António Mor.

António Mor pedira à assembleia que aprovasse este voto em homenagem à “figura ímpar, ilustre e íntegro homem” que “ficará na história como um dos grandes construtores da democracia em Portugal”, concluiu.

A Assembleia Municipal de Abrantes aprovou por unanimidade o voto de pesar, endereçando condolências “à sua família, em particular aos seus filhos e aos seus netos, aos seus amigos e camaradas, a todos os que o conheceram como alguns de nós, como um dos maiores obreiros do Portugal democrático”.

Recorde-se que Mário Soares faleceu a 7 de janeiro, no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa, onde esteve internado durante 26 dias, desde 13 de dezembro. O Governo decretou três dias de luto nacional após a sua morte.

O corpo do antigo Presidente da República esteve em câmara ardente no Mosteiro dos Jerónimos e o funeral realizou-se no Cemitério dos Prazeres, em Lisboa.

Nascido a 07 de dezembro de 1924, em Lisboa, Mário Alberto Nobre Lopes Soares, advogado, combateu a ditadura do Estado Novo e foi fundador e primeiro líder do PS.

Após a revolução do 25 de Abril de 1974, regressou do exílio em França e foi ministro dos Negócios Estrangeiros e primeiro-ministro entre 1976 e 1978 e entre 1983 e 1985, tendo pedido a adesão de Portugal à então Comunidade Económica Europeia (CEE), em 1977, e assinado o respetivo tratado, em 1985.

Em 1986, ganhou as eleições presidenciais e foi Presidente da República durante dois mandatos, até 1996.

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome