Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quinta-feira, Agosto 5, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes: Apresentado projeto para a qualidade do comércio e serviços

Mais de duas dezenas de empresários estiveram presentes na sessão de esclarecimento que decorreu hoje em Abrantes sobre o projeto de documento normativo e que permitirá aos estabelecimento comerciais e de serviços terem mais qualidade e serem mais competitivos.

- Publicidade -

“Sistema de reconhecimento da qualidade do serviço das pequenas e médias empresas do comércio e serviços”, assim se designa o projeto de documento normativo que, por enquanto, ainda é um projeto, mas que em breve entrará em vigor, tendo sido apresentado esta quinta-feira, dia 21, em Abrantes, no edifício Pirâmide.

(da esq. para a direita) Joaquim Serras, presidente da ACE, João Vieira Lopes, presidente da CCP, e João Gomes, vice-presidente da Câmara de Abrantes
(da esq. para a direita) Joaquim Serras, presidente da ACE, João Vieira Lopes, presidente da CCP, e João Gomes, vice-presidente da Câmara de Abrantes

- Publicidade -

Numa iniciativa da Associação Comercial e Empresarial dos concelhos de Abrantes, Constância, Sardoal, Mação e Vila de Rei (ACE), a sessão de esclarecimento contou com as presenças do presidente da Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP), João Vieira Lopes, bem como de técnicos do Instituto Português da Qualidade (IPQ) que explicaram aos empresários presentes este projeto de especificação técnica relacionado com a qualidade dos serviços das PME´s do comércio e serviços.

Para Joaquim Serras, presidente da Associação Comercial e Empresarial, “este é um normativo novo que pode vir a ser aplicado a empresas de menor dimensão e que será bastante importante de futuro tanto para as empresas na área comercial, comércio e retalho, como as pequenas e médias empresas que estão na área dos serviços”.

Sobre os principais benefícios que este normativo poderá trazer para os empresários, Joaquim Serras refere que “a normalização e a qualificação traz sempre bastantes benefícios e estou convicto de que os empresários que vierem a adotar esta norma e pelas regras que são impostas para a sua adoção irão certamente ter um espaço comercial melhor, mais atraente, mais competitivo, irão também prestar um serviço de melhor qualidade e isso irá trazer consequências para o negócio, quer em termos de volume de negócios, quer em termos de resultados”.

abrantes_sessao esclarecimento ACE_vista geral sala
Mais de duas dezenas de participantes ouviram os esclarecimentos sobre o novo sistema de qualificação do comércio e serviços

A Associação Comercial e Empresarial dos concelhos de Abrantes, Constância, Sardoal, Mação e Vila de Rei tem sido uma das poucas a nível nacional que tem estado envolvida no processo de desenvolvimento deste projeto que ainda não tem data definida para a sua entrada em vigor, estando ainda a aguardar aprovação e que seja disponibilizado pelo IPQ.

Na sessão de abertura deste seminário, Joaquim Serras salientou a importância deste projeto na qualidade das empresas e João Gomes, vice-presidente da Câmara Municipal de Abrantes, destacou que “nos dias de hoje, a qualidade é um fator de competitividade nas empresas”, acrescentando que a ACE e a autarquia partilham de um desafio comum que é “conseguir que os empresários e comerciantes tenham sucesso, para bem do concelho e da economia local”.

Por sua vez, João Vieira Lopes, presidente da Confederação do Comércio e Serviços de Portugal, explicou que este projeto de sistema de qualidade para as empresas surgiu porque as Normas ISO são bastante complexas de aplicar nas empresas portuguesas e que este é um caminho intermédio que se está a seguir “para que as empresas possam melhorar e ter mais qualidade”.

O responsável da CCP defende que “toda a área do comércio e serviços também acrescenta valor à economia” e que, com este novo sistema de qualidade “pretendemos melhorar os procedimentos das empresas e criar uma marca que dê confiança ao consumidor”.

Candidaturas abertas até fevereiro

Nesta sessão de esclarecimento, foi ainda abordada a Medida Formação-Ação “Dinamizar” que, segundo explicou Joaquim Serras ao mediotejo.net, “serve tanto para as empresas poderem ter ao seu dispor consultoria, que é na sua grande parte financiada, como poderem ter acesso a formação para resolver determinadas situações que se encontrem na empresa, sendo que este tipo de ação pode servir para implementar este normativo”.

A Associação Comercial encontra-se a desenvolver uma candidatura conjunta no âmbito desta Medida “Dinamizar” para que os empresários possam aceder a apoios financeiros. Joaquim Serras apela a todos os empresários “que queiram modernizar e que queiram ter acesso a consultoria e formação profissional financiada numa percentagem elevada, podem contactar a ACE até meados de fevereiro”. “É um programa a não perder pelas empresas”, conclui.

Entrou no mundo do jornalismo há cerca de 13 anos pelo gosto de informar o público sobre o que acontece e dar a conhecer histórias e projetos interessantes. Acredita numa sociedade informada e com valores. Tem 35 anos, já plantou uma árvore e tem três filhos. Só lhe falta escrever um livro.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome