Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Terça-feira, Agosto 3, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes apoia mais 56 coletividades concelhias com 340 mil euros

O edifício Pirâmide, em Abrantes, acolheu esta segunda-feira, dia 23 de maio, a cerimónia de assinatura dos contratos-programa de apoio a mais de cinco dezenas de coletividades concelhias para que estas possam desenvolver as suas atividades nas áreas da cultura, social, juventude e eventos, num investimento camarário de cerca de 340 mil euros.

- Publicidade -

A estas 56 coletividades agora apoiadas no âmbito do FINABRANTES, com 340 mil euros, juntam-se as 35 de âmbito desportivo que assinaram os contratos-programa, no valor de 185 mil euros, em dezembro passado, para apoiar 23 modalidades desportivas diferentes, de acordo com as candidaturas apresentadas.

Numa cerimónia um pouco diferente do habitual, a sessão começou sem a presença da presidente da autarquia de Abrantes, Maria do Céu Albuquerque, que chegou um pouco mais tarde, vinda do aeroporto de Lisboa onde foi receber a canoísta abrantina Francisca Laia, que na semana passada se apurou para os Jogos Olímpicos, como forma de demonstrar “o quanto a comunidade abrantina está orgulhosa do seu trabalho e do seu percurso”.

- Publicidade -

Maria do Céu Albuquerque, presidente da Câmara Municipal de Abrantes, com Humberto Lopes, presidente da ADIMO (Foto: mediotejo.net)
Maria do Céu Albuquerque, presidente da Câmara Municipal de Abrantes, com Humberto Lopes, presidente da ADIMO (Foto: mediotejo.net)

No compasso de espera, a cerimónia foi conduzida por Luís Dias, vereador da Câmara Municipal de Abrantes responsável pelos pelouros da Cultura e Desporto, sendo que os representantes das coletividades presentes foram assinando os contratos-programa.

Maria do Céu Albuquerque salientou na sua intervenção a importância do momento pela dinâmica associativa aliada à criação de uma melhor qualidade de vida. “Estamos aqui hoje para podermos continuar a apoiar os vossos clubes para juntos podermos criar as melhores condições para que a prática do desporto e que as iniciativas culturais, sociais e da juventude possam acontecer e contribuir para melhorar a qualidade de vida dos nossos cidadãos e termos pessoas mais felizes”, disse, agradecendo “a todos aqueles que vestem a camisola pelos vários movimentos associativos” que compõem o território concelhio”, com 19 freguesias, algumas delas agrupadas, que povoam cerca de 714 quilómetros quadrados do território que constitui o município de Abrantes.

O FINABRANTES, destacou a autarca, “é uma ferramenta clara para promover o desenvolvimento e a sustentabilidade local no nosso território”, referiu a autarca, tendo feito notar “entender” o programa como sendo “fator distintivo que ajuda a promover a qualidade de vida das pessoas em todas as dimensões”.

“Os movimentos associativos são determinantes para podermos trabalhar a nossa comunidade, que se substituem muitas vezes àquilo que a administração central e local faz, porque também não temos a pretensão de estar em todo o lado, mas que a comunidade se organize connosco para trabalhar as diversas dimensões”, frisou.

Vereador Luís Dias com a equipa dos técnicos camarários que trabalham os processos do FINABRANTES (Foto: mediotejo.net)
Vereador Luís Dias com a equipa dos técnicos camarários que trabalham os processos do FINABRANTES (Foto: mediotejo.net)

Maria do Céu Albuquerque alertou ainda para a “necessidade de uma articulação rigorosa entre a equipa técnica da Câmara e as coletividades para trabalhar de uma forma mais célere para evitar os atrasos deste ano na assinatura dos contratos”.

A autarca reconheceu a necessidade de “simplificar” os procedimentos, tendo alertado, no entanto, que tal “não significa que que a autarquia vá descurar ou ser mais facilitadora” em termos processuais.

“Temos todos que ter a responsabilidade de fazer mais e melhor porque estamos a gerir dinheiro público”, defendeu Maria do Céu, salientando ainda que o município tem promovido um conjunto de iniciativas formativas de modo a “qualificar os dirigentes das associações, melhorar a qualidade dos serviços das associações, e trabalhar de uma forma mais simples e eficaz”.

A juntar às medidas agora apoiadas no âmbito da cultura, ação social, juventude e eventos, e às do desporto já contratualizadas, o município coloca ao serviço do movimento associativo mais de meio milhão de euros de investimento, salientou Maria do Céu Albuquerque.

Maria do Céu Albuquerque salientou que, mesmo com orçamento camarário que é o mais baixo dos últimos 15 anos, o apoio às associações concelhias é de mais de meio milhão de euros (Foto: mediotejo.net)
Maria do Céu Albuquerque salientou que, mesmo com orçamento camarário que é o mais baixo dos últimos 15 anos, o apoio às associações concelhias é de mais de meio milhão de euros (Foto: mediotejo.net)

“Os valores são semelhantes ao ano de 2015 mas mesmo assim há um aumento de 16 mil e 500 euros, num ano em que o orçamento municipal diminuiu significativamente… temos o orçamento camarário mais baixo dos últimos 15 anos”, fez notar a autarca.

“Pese embora tenhamos esta contingência orçamental, continuamos a fazer investimento nas nossas associações porque estamos convictos de que é um investimento trabalharmos em conjunto com as nossas associações para construirmos um futuro coletivo melhor”, concluiu.

Entrou no mundo do jornalismo há cerca de 13 anos pelo gosto de informar o público sobre o que acontece e dar a conhecer histórias e projetos interessantes. Acredita numa sociedade informada e com valores. Tem 35 anos, já plantou uma árvore e tem três filhos. Só lhe falta escrever um livro.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome