PUB

Abrantes | Ana Bento, a mentora da caderneta digital do aluno que já chegou às escolas nacionais

Uma caderneta escolar em formato eletrónico, um dos vencedores do Orçamento Participativo Jovem Portugal (OPJP) 2017, já está implementada em todo o continente através de uma aplicação digital. A mentora do projeto, Ana Teresa Bento, de Alferrarede (Abrantes), garantiu um financiamento de 50 mil euros para pôr em prática a “APP Caderneta do Aluno” e não escondeu ao mediotejo.net a sua satisfação pela sua evolução e concretização.

PUB

“É com um agradável sentimento que vejo esta aplicação sendo implementada nas escolas públicas do meu país. É um sentimento de realização e de dever cumprido pois foi um projeto que levou quatro anos a ser implementado, com alguns altos e baixos no decorrer do processo, e que exigiu alguma persistência e resiliência em relação ao mesmo”, disse Ana Bento, dando conta que o uso desta APP “só está disponível para escolas públicas tuteladas pelo Ministério da Educação que utilizam como programa de gestão de alunos o sistema E-360 disponibilizado pelo Ministério da Educação”.

“Esta APP apresenta um conjunto de funcionalidades simples e disponíveis para o canal mobile orientadas quer para os Encarregados de Educação (EE) de Alunos do pré-escolar ao ensino secundário de todas as modalidades de ensino, quer para os alunos, ainda que com níveis de acesso diferenciados consoante o perfil, e com acesso a partir dos mecanismos de autenticação.gov, nomeadamente a Chave Móvel Digital”, referiu, dando conta que “esta APP tem funcionalidades que permitem a interação entre os encarregados de educação e as escolas”.

PUB

Ou seja, “permite consultar dados de registo biográfico do aluno e do Encarregado de Educação, horário do aluno, currículo com as respetivas disciplinas e docentes associados, identificação do Diretor de Turma e do seu horário de atendimento, ocorrências de natureza disciplinar, assiduidade do aluno, avaliação do aluno, sumários das aulas e lista de tarefas por disciplina” e “permitirá a justificação de faltas e a comunicação do EE com o Diretor de Turma, bem como a atualização de dados do registo biográfico”.

Ana Bento salienta que esta aplicação “é ainda facultativa, pois alguns pais ainda não têm tanta facilidade em se adaptar às tecnologias implementadas. Prevê-se que ao longo dos anos a caderneta tradicional do aluno vá desaparecendo e esta seja obrigatória nas escolas publicas. No entanto acredito que esta caderneta em formato eletrónico vai prevalecer na maioria das escolas públicas”, notou.

Em declarações ao mediotejo.net Ana Bento, de 24 anos, e hoje a residir “entre Abrantes e o Montijo”, disse que, através desta aplicação, “qualquer pai pode aceder fácil e gratuitamente ao comportamento, assiduidade e empenho do seu filho”, através do seu ‘smartphone’.

O projeto “App Caderneta do Aluno” foi proposto por Ana Bento, de Abrantes, e foi um dos vencedores do OPJovem 2017. Foto: mediotejo.net

Ana, ex-professora, é atualmente militar da Força Aérea Portuguesa e está a fazer um mestrado em gestão de recursos humanos, conciliando a música e os escuteiros no tempo livre. E foi na qualidade de professora que lhe surgiu a ideia de concorrer ao Orçamento Participativo Jovem naquele ano de 2017.

“Como também era professora, pensei que, ao invés da tradicional caderneta em papel, onde enviamos recados ou informações que muitas vezes se perdem porque os pais muitas vezes não veem, este projeto de aplicação permite enviar a informação individual ou um recado coletivo para os telemóveis de pais e alunos”, destacou.

Este foi um dos sete projetos vencedores do OPJP 2017, mas o último a ser concretizado, pela sua “especificidades e complexidades técnicas”.

“Este percurso foi longo e um pouco lento, o que é normal para a dimensão e funcionalidade que a aplicação “App Caderneta do aluno” exige. Na última reunião no Ministério da Educação onde todos os intervenientes deste processo se reuniram, tínhamos agendado a divulgação para meados de março (de 2020) sendo que a divulgação pública e a disponibilidade da aplicação nos terminais eletrónicos para o início do 3º período do ano letivo 2019/2020. Ora isto não aconteceu devido aos primeiros surtos de COVID 19 e ao confinamento geral que surgiu por essa altura. Desta forma a sua divulgação e disponibilidade ao utilizador foi adiada.  A sua publicação aconteceu de uma forma muito gradual não tendo sido feita nenhuma cerimónia oficial da mesma”, relatou.

A aplicação tem sofrido algumas atualizações da sua versão original, nomeadamente para a “correção de alguns bugs que tem vindo a ser detetados e reportados pelos utilizadores”.

“Estes erros estão a ser de imediato identificados e corrigidos para que, à posteriori, a aplicação possa ser mais eficiente.  É estimável que ao longo das atualizações mais funcionalidades estejam disponíveis nesta caderneta do aluno. Neste momento a aplicação vai na primeira versão, no entanto ao longo das várias versões vão ser introduzidas novidades ao utilizador que estavam idealizadas logo inicialmente no protótipo da aplicação”, notou a jovem militar.

Segundo Ana Bento, está previsto que a todas as escolas E-360 seja facultada a divulgação da caderneta do aluno e ações de formação para que, posteriormente, estejam mais adaptadas ao conceito da aplicação de modo a que o corpo docente possa tirar as suas dúvidas acerca da APP e poder transmitir aos encarregados de educação.

“A meu ver, esta aplicação é uma mais valia. Quando lecionava no ensino público em várias escolas do país sentia a necessidade de enviar recados e notificações para casa para os encarregados de educação o que era bastante incomodo. Cada escola tinha o seu método e por vezes era aborrecido estar uma grande parte da aula com os alunos do ensino básico a escrever um recado para os pais e estes por vezes não recebiam. Com esta aplicação há uma generalização do meio e uma grande interação dos encarregados de educação para com os docentes”, sublinhou, dando conta da pertinência da aplicação para além da funcionalidade.

Ana Teresa da Silva Bento, de Alferrarede, Abrantes, ganhou financiamento para pôr em prática a “APP Caderneta do Aluno”

“Além da funcionalidade dos encarregados de educação receberem notificações instantâneas, há uma grande vantagem na comunicação dos mesmos uma vez que existem outras funções bastante pertinentes como a visualização dos sumários pelos encarregados de educação, visualização do horário do aluno, assiduidade e notificações das avaliações dos mesmos”, concluiu.

A instalação da aplicação está disponível em ios e android. A aplicação APP caderneta do aluno pode ser descarregada através do google play ou na appstore e está disponível para os smartphone/ iphones, tablet/ipad ou macbook, estando “disponível para escolas públicas tuteladas pelo Ministério da Educação que utilizam como programa de gestão de alunos o sistema E-360 disponibilizado pelo Ministério da Educação”.

PUB
PUB
Mário Rui Fonseca
A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).