Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sexta-feira, Outubro 22, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Agrupamento de Escolas Cidade do Entroncamento oferece espécies florestais

No âmbito de um périplo pelos concelhos mais fustigados pelos incêndios (Abrantes, Ferreira do Zêzere, Sardoal e Mação), uma delegação de 25 alunos do Agrupamento de Escolas Cidade do Entroncamento entregou, esta segunda-feira 19 de março, na Câmara Municipal de Abrantes várias espécies florestais: sobreiros, azinheiras e pinheiros mansos.

- Publicidade -

A iniciativa dos alunos do Entroncamento insere-se no Programa Eco-Escolas que integra a campanha “Vou contribuir para a Floresta Sorrir”.

Os alunos, a Diretora do Agrupamento e as docentes coordenadoras do Programa ECO-Escolas, foram recebidos no Salão Nobre dos Paços do Concelho pela presidente da Câmara e pelo vereador Manuel Valamatos.

- Publicidade -

Maria do Céu Albuquerque agradeceu a todos o gesto de solidariedade e a sensibilidade das escolas do Entroncamento para com a comunidade de Abrantes, também fustigada pelos incêndios de 2017. Autarca e alunos dialogaram sobre temas diversos como a defesa da floresta e do meio ambiente, cidadania e igualdade do género.

A presidente ofereceu aos alunos o livro “Rio Tejo, Património Natural de Abrantes”, como alerta para os problemas de poluição e para a importância da mobilização em defesa deste importante recurso nacional e do ecossistema associado.

As plantas oferecidas serão plantadas no dia 21 de março – Dia Mundial da Árvore – no Parque Urbano de S. Lourenço, por alunos de escolas de Abrantes, no âmbito do Projeto ECO-Escolas, nomeadamente do Programa “Rota pela Floresta”.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome