- Publicidade -

Sexta-feira, Dezembro 3, 2021
- Publicidade -

Abrantes | Adesão de 90% na greve na limpeza no hospital – sindicato (c/fotos e video)

O sindicato que representa os trabalhadores hoje em greve da Operandus, responsável pela limpeza no hospital de Abrantes, afirmou que foi registado uma adesão de 90% no período da tarde, tendo a empresa cumprido com os serviços mínimos.

- Publicidade -

“No turno da manhã, a adesão foi boa, de cerca de 65%, e no período da tarde, que começou às 16:00, a adesão foi de 90%, estando a trabalhar três funcionárias das 24 escaladas”, disse à Lusa Vivalda Silva, do Sindicato dos Trabalhadores de Serviços de Portaria, Vigilância, Limpeza, Domésticas e Atividades Diversas (STAD).

A greve de 24 horas, que começou às 08:00 de hoje, tem em vista exigir à empresa industrial de limpeza Operandus que “respeite os acordos de condições específicas quanto a horários de trabalho e subsídios de risco, transporte e alimentação”, e que “acabe com a intimidação” entre os 60 funcionários de limpeza daquela unidade hospitalar, que trabalham em vários horários.

- Publicidade -

Relativamente ao impacto da greve, fonte oficial da empresa Operandus disse que “verifica-se uma total normalidade no que toca aos serviços de higienização e limpeza” prestados no CHMT. Foto: mediotejo.net

Os trabalhadores reivindicam, em concreto, um aumento de 1,80 euros para 4,77 euros de subsídio de alimentação/dia, um aumento do subsídio de risco de 0,50 cêntimos para 2,15 euros, o pagamento de 30 euros de subsídio de transporte e um aumento do salário mínimo praticado de 600 euros para 680 euros, além da discussão do pagamento de horas noturnas e feriados, entre outros.

As afirmações e reivindicações do STAD foram hoje rejeitadas pela empresa que, em comunicado enviado à Lusa, explica que “o acordo assinado com a Iberlim não tem aplicabilidade à Operandus, uma vez que a sua entrada em vigor foi posterior ao início da prestação de serviços da Operandus” no CHMT [Centro Hospitalar do Médio Tejo, de que faz parte o hospital de Abrantes], “não se transmitindo” para aquela entidade.

A Iberlim era a anterior empresa prestadora deste serviço.

A Operandus refere ainda que “a afirmação de que as trabalhadoras são perseguidas, intimidadas e reprimidas pelas chefias do hospital de Abrantes não passa de pura fabulação”, tendo assegurado reger-se por “princípios de total legalidade e tendo o maior respeito pelos direitos e dignidade dos seus trabalhadores”.

Relativamente ao impacto da greve, fonte oficial da empresa disse que “verifica-se uma total normalidade no que toca aos serviços de higienização e limpeza” prestados no CHMT.

A greve de 24 horas, que começou às 08:00 de hoje, tem em vista exigir à empresa industrial de limpeza Operandus que “respeite os acordos de condições específicas quanto a horários de trabalho e subsídios de risco, transporte e de alimentação”. Foto: mediotejo.net

Contactado pela Lusa, o CHMT, que agrega também as unidades hospitalares de Tomar e Torres Novas, informou, por sua vez, que “não se esperam constrangimentos ao normal funcionamento” pela greve de trabalhadores daquela empresa externa ao hospital de Abrantes, dado que a mesma “assegurou os serviços mínimos”.

Agência de Notícias de Portugal

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome