Quinta-feira, Março 4, 2021
- Publicidade -

Abrantes: Açude foi vandalizado e não pode ser insuflado

O açude insuflável de Abrantes foi vandalizado e só poderá voltar a ser insuflado depois de feitas as devidas reparações ao equipamento.

- Publicidade -

O assunto foi analisado durante a última reunião de Câmara de Abrantes, que se realizou esta terça-feira, dia 5 de julho, quando a vereadora Elza Vitório (PSD) questionou a presidente da autarquia, Maria do Céu Albuquerque, sobre o motivo pelo qual o açude ainda não foi insuflado.

Maria do Céu Albuquerque explicou que “para já é impossível fazer a insuflação porque o açude foi alvo de um ato de vandalismo e precisa de ser reparado”.

- Publicidade -

João Gomes, vereador da Câmara Municipal de Abrantes, responsável pelo pelouro das obras municipais, explicou ao mediotejo.net que não se sabe a data em concreto de quando o açude foi vandalizado. “Quando as Infraestruturas de Portugal nos notificaram dizendo que já poderíamos insuflar o açude, fomos fazer o levantamento do estado em que se encontrava e verificámos que ele estava danificado.”

“Sabemos que o ato de vandalismo deve ter sido há mais de um mês porque entretanto instalámos câmaras de vigilância no açude e [o ato de vandalismo] teria sido detetado se tivesse ocorrido após essa altura”, referiu João Gomes.

Tubo que perfurou a manga do vão do açude insuflável de Abrantes (Foto: CMAbrantes)
Tubo que perfurou a manga do vão do açude insuflável de Abrantes (Foto: CMAbrantes)

O vereador João Gomes esclareceu ainda como vandalizaram o equipamento. “Colocaram um tubo, que furou a zona da manga do vão do açude. Já contactámos a empresa que foi a autora do projeto para os seus técnicos virem cá e fazerem o levantamento da ocorrência, para nós repararmos o mais rapidamente possível”.

Esta ocorrência impede que o açude seja para já insuflado, por questões de segurança, e o valor da reparação, que será assumido pela autarquia, ainda não é conhecido, aguardando-se a avaliação que será realizada pelos técnicos.

Segundo João Gomes, esta não é a primeira vez que o açude insuflável é alvo de atos de vandalismo. “Já temos tido várias ocorrências ao longo dos anos, em relação às bóias de proteção, mas nunca tinha sido no açude, na parte das borrachas, porque antes estava insuflado. Como não tem estado insuflado nestes últimos meses, permitiu um maior acesso à estrutura e daí ter-se registado esta ocorrência.”

Danos causados na comporta insuflável do vão 4 com sinais de terem sido provocados por atos de vandalismo (Foto: CMAbrantes)
Danos causados na comporta insuflável do vão 4 com sinais de terem sido provocados por atos de vandalismo (Foto: CMAbrantes)

Entrou no mundo do jornalismo há cerca de 13 anos pelo gosto de informar o público sobre o que acontece e dar a conhecer histórias e projetos interessantes. Acredita numa sociedade informada e com valores. Tem 35 anos, já plantou uma árvore e tem três filhos. Só lhe falta escrever um livro.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).