Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Outubro 16, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | ACROM mostra rochas e corais em exposição nas Mouriscas

A quinta exposição temática da ACROM – Associação Cultural das Rotas de Mouriscas, pode ser visitada na sede da coletividade, em Mouriscas (Abrantes), desta vez dedicada a rochas ornamentais, corais, conchas, trilobites, pedras parideiras e muito mais.

- Publicidade -

Naquele espaço museológico a ACROM expôs mais de uma centena de peças, aguardando ainda por algumas novidades. António Louro, presidente da ACROM, disse ao mediotejo.net que “mais uma vez a comunidade mourisquense está a corresponder e a trazer peças de grande beleza e alguma raridade”.

Exposição temática da ACROM. Créditos: ACROM

- Publicidade -

A mostra conta com peças provenientes do estrangeiro, nomeadamente uma flor do deserto (Tunísia), uma pedra do Iraque, outra das Ilhas Caimão, etc.

Contudo, o  espaço museológico dispõe de outras peças em exposição, as quais pretendem mostrar como era a ruralidade em Mouriscas nos meados do século passado.

Exposição temática da ACROM. Créditos: ACROM

Esta exposição segue-se a outras já realizadas anteriormente pela ACROM, nomeadamente: Livros de autores de Mouriscas (20 exemplares); catos e suculentas (200 peças); figuras de Santo António (200 peças); fotos e quadros de pessoas e lugares de Mouriscas (300 peças).

A exposição encontra-se patente ao público, desde dia 15 de fevereiro, para ficar durante várias semanas. A organização espera a visita de algumas centenas de pessoas.

Exposição temática da ACROM. Créditos: ACROM

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome