Abrantes | Abranclínica encerrada até dia 18 por três profissionais testarem positivo à covid-19

Três profissionais de saúde da Abranclínica, em Abrantes, testaram positivo para o novo coronavírus, confirmou ao mediotejo.net, José Fontes, da administração da clínica, que garante ter ativado todos os procedimentos para a contenção. A Clínica encontra-se encerrada até dia 18 de novembro, podendo reabrir no dia 19 sendo os utentes avisados da realização dos exames.

PUB

“Ontem, 11 de novembro, foram detetados casos positivos para SARS-CoV-2 em três profissionais, rececionistas, da Abranclínica” confirmou o médico, acreditando que os trabalhadores terão sido infetados através de um utente uma vez que “dois dos três funcionários positivos pertenciam ao grupo de oito administrativos que estavam na triagem inicial com os doentes”, explicou.

Os testes de diagnóstico ao novo coronavírus foram realizados na terça-feira, 10 de novembro, “no laboratório Silva Tavares onde têm um departamento de técnica molecular de muito boa qualidade”, assegura. Seguindo o procedimento, o laboratório comunica os resultados aos trabalhadores, estes participam à entidade patronal no caso de estarem positivos e a entidade patronal, no caso a Abranclínica, comunica às autoridades de Saúde Pública do Médio Tejo.

PUB

Ao nosso jornal confirmou então que os casos foram detetados em três dos 20 trabalhadores (administrativos e técnicos) da clínica na sequência da realização de despistes para a infeção do vírus SARS-CoV-2, após situação de possível infeção numa das funcionárias – que acabou por testar negativo – que tinha contactado com infetados numa festa familiar.

O médico José Fontes, administrador da Abranclínica, na cidade de Abrantes. Créditos: mediotejo.net

“Uma funcionária teve de fazer o teste porque esteve numa festa de aniversário em que três pessoas estavam infetadas. Ela e o marido fizeram o teste que resultou negativo, e pensei em fazer o teste a todos” os trabalhadores administrativos e técnicos (20) e médicos especialistas (15), num total de 35 pessoas disse José Fontes.

Perante os resultados a Autoridade de Saúde Pública do Médio Tejo, na pessoa de Maria dos Anjos Esperança, aconselhou ao encerramento da clínica durante uma semana, ficando “todos em casa; funcionários administrativos, técnicos e médicos” em isolamento profilático, acrescenta José Fontes.

“De qualquer forma ficou um grupo na Abranclínica a desmarcar os exames”, refere, indicando que a clínica realiza semanalmente cerca de mil exames, sendo diários entre 200 a 300 exames a utentes.

“Como marcamos exames a três, quatro semanas… são milhares de exames que vão ser retardados. Tivemos de entrar em contacto telefónico com todos as pessoas com exames marcados”, diz, admitindo que “os exames vão atrasar” incluindo os considerados “urgentes”, que normalmente fazem “no dia”, como TAC ao tórax ou as ressonâncias magnéticas, “exames que podem demorar uma hora com cada doente”.

Na próxima semana, encontrando-se a clínica encerrada até dia 18 de novembro, “vamos ter a certeza qual o pessoal que poderá reabrir a Abranclínica. O problema não é a instalação em si mas nós entrarmos em quarentena”, refere.

O administrador lembra que a Abranclínica desde o início da pandemia “tem-se mantido a trabalhar, nunca interrompemos a nossa atividade e o pessoal médico e técnico bem como as auxiliares tem utilizado as ERPI – Equipamento de Proteção Individual”.

Conta que a clínica tem realizado “um rastreio individual dos doentes, com um interrogatório sumário à porta. Era medida a temperatura e o pessoal perguntava se o doente apresentava sintomas gripais”. Inquérito realizado por “um ou dois rececionistas num grupo de oito que rotativamente” faziam o primeiro contacto com os doentes recebendo manualmente, à porta da clínica, as credenciais e requisições médicas.

Os três funcionários que testaram positivo para a covid-19 “encontram-se assintomáticos. Dois deles terão sido contaminados, segundo a análise, há uma semana e um dele há dois ou três dias“, dá conta José Fontes.

Daqui a uma semana “todos os funcionários e clínicos voltarão a ser testados, quer positivos quer negativos. Os que estiverem negativos no primeiro exame e voltem a resultar negativo no segundo exame podem voltar a trabalhar e a clínica arrancar com os funcionários disponíveis, realizando em vez de 200 ou 300 exames, por hipótese apenas 50”, diz.

Para José Fontes “foi muito importante a rapidez com que soubemos os resultados porque permite cortar imediatamente uma eventual via de transmissão”.

O administrador conclui dizendo que “os utentes serão avisados telefonicamente da realização e data dos exames” agora adiados.

A Abranclínica disponibiliza vários serviços nas áreas de Radiologia, Neuroradiologia, Cardiologia, Neurofisiologia e Técnicos de Radiologia.

PUB
Paula Mourato
A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.
PUB

1 COMENTÁRIO

  1. A clínica deveria avisar vai tlm , todos os pacientes que tiveram em contato com as colaboradoras em causa, forma de prevenir e isolar alguma propagação possa ocorrer.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).