Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Setembro 19, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes: 3 equipas disponíveis 24h por dia na fase de combate a incêndios

Durante a fase “Charlie” de combate a incêndios florestais, que decorre de 01 de julho a 30 de setembro, os bombeiros voluntários de Abrantes têm disponíveis, 24h por dia, três equipas de combate a incêndios, cada uma com cinco elementos, cinco veículos de combate a incêndios e quatro veículos tanque.

- Publicidade -

A informação foi divulgada esta terça-feira, dia 5 de julho, pela presidente da Câmara Municipal de Abrantes, Maria do Céu Albuquerque, durante a reunião do executivo camarário, onde deu a conhecer o balanço do primeiro briefing do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF) no concelho de Abrantes relativo à fase vulgarmente conhecida por “Charlie”, ou seja, aquela que é considerada a mais crítica e que se realizou esta segunda-feira, dia 4 de julho.

Nesta reunião, o Comandante Operacional, António de Jesus, fez a apresentação do plano operacional para esta época de incêndios onde foi referido que, nesta fase de 1 de julho a 30 de setembro, os bombeiros voluntários de Abrantes têm disponíveis, 24h por dia, três equipas de combate a incêndios, cada uma com cinco elementos, tendo ainda reforçado o número de viaturas, nomeadamente através da adaptação de duas para o efeito de combate e na aquisição de mais um veículo-tanque. No total, estão disponíveis cinco veículos de combate a incêndios, quatro veículos tanque e três veículos de comando/apoio. Estas equipas atuam por determinação do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém.

- Publicidade -

Maria do Céu Albuquerque, presidente da Câmara Municipal de Abrantes, e o Comandante Operacional, António de Jesus, durante o primeiro briefing do dispositivo de combate a incêndios (Foto: CMAbrantes)
Maria do Céu Albuquerque, presidente da Câmara Municipal de Abrantes, e o Comandante Operacional, António de Jesus, durante o primeiro briefing do dispositivo de combate a incêndios. Foto: CMAbrantes

Para o ataque inicial estão disponíveis meios aéreos, sendo os mais próximos os que estão estacionados em Ferreira do Zêzere (dois), Sardoal (um) e Caniceira (um).

O Município tem disponível uma máquina de rasto, a nível distrital existem 4 que poderão ser deslocalizadas se necessário.

“O plano define como prioridade o ataque rápido a incêndios nascentes e a distribuição de meios por todo o concelho com o respetivo pré-posicionamento de viaturas nos locais considerados de maior risco”, referiu Maria do Céu Albuquerque acrescentando ainda que “o território concelhio está organizado em três zonas de pré-posicionamento para facilitar a distribuição dos meios disponíveis, quer do serviço municipal de proteção civil, quer externos, revelando-se estes sempre da maior importância. Nas 13 freguesias estão identificadas estruturas de apoio logístico”.

Este ano, pelo primeira vez, no norte do concelho, estará disponível um dispositivo de primeira intervenção (viatura) com a colaboração da equipa técnica da ZIF de Aldeia do Mato.

Já no sul do concelho, mantém-se o estacionamento de veículos dos bombeiros na base dos Sapadores Florestais, em Rossio ao Sul do Tejo, e, como em anos anteriores, “há um conjunto de entidades que estão organizadas para efetuar a vigilância e, em caso de incêndio, procederem a uma primeira intervenção, nomeadamente as equipas de sapadores (3), as 4 equipas da AFOCELCA, associações de caçadores (6); kits das juntas de freguesia (9) e 14 privados. As forças de segurança colaboram no patrulhamento e nas ações informativas e dissuasoras”, referiu Maria do Céu Albuquerque.

Nesta reunião, que decorreu no quartel dos Bombeiros de Abrantes, estiveram presente as diversas entidades diretamente envolvidas no sistema de Defesa da Floresta Contra Incêndios (Foto: CMAbrantes)
Nesta reunião, que decorreu no quartel dos Bombeiros de Abrantes, estiveram presente as diversas entidades diretamente envolvidas no sistema de Defesa da Floresta Contra Incêndios. Foto: CMAbrantes

António de Jesus chamou à atenção para o facto de, apesar das campanhas de sensibilização, é muito importante a limpeza dos terrenos em volta das construções, “num ano particularmente difícil por ter chovido para além da época normal provocando o aumento da matéria seca”, e alertou para as situações que devem ser evitadas para não causar dilemas aos bombeiros quando estão no terreno.

A Presidente da Câmara Municipal de Abrantes sublinhou a importância do envolvimento de todas as instituições e particulares e lamentou o atraso registado nas candidaturas de projetos ao PDR – Programa de Desenvolvimento Rural, colocando em causa projetos já apresentados para a realização de ações de defesa da floresta e criação de faixas de proteção contra incêndios.

Nesta reunião, que decorreu no quartel dos Bombeiros de Abrantes, estiveram presente as diversas entidades diretamente envolvidas  no sistema de Defesa da Floresta Contra Incêndios, nomeadamente: 2º Comandante dos Bombeiros Voluntários; Direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Abrantes; Serviço Municipal de Proteção Civil; Associação de Agricultores de Abrantes, Constância, Sardoal e Mação; Sapadores Florestais; AFOCELCA, Portucel; Aquartelamento de Apoio Militar de Emergência (RAME); GNR, destacamento de Abrantes; Gestiverde, entidade gestora da ZIF de Aldeia do Mato e os presidentes da Juntas de Freguesia de Abrantes e Alferrarede, Aldeia do Mato e Souto, São Facundo e Vale das Mós e Bemposta.

Entrou no mundo do jornalismo há cerca de 13 anos pelo gosto de informar o público sobre o que acontece e dar a conhecer histórias e projetos interessantes. Acredita numa sociedade informada e com valores. Tem 35 anos, já plantou uma árvore e tem três filhos. Só lhe falta escrever um livro.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome