À Descoberta | Mação, um regresso à pré-história

*Este artigo é parte integrante de uma série especial sobre os Museus no Médio Tejo. Descubra mais sugestões em mediotejo.net

Mação possui um grande passado arqueológico, com achados únicos da Idade do Bronze e gravuras rupestres. Um património que tem sido descoberto gradualmente ao longo do último século e que está patente no Museu de Arte pré-histórica e do Sagrado do Vale do Tejo.

museu
Museu de Arte pré-histórica e do Sagrado do Vale do Tejo, em Mação Foto: DR

De Mação conhece-se a passagem dos romanos, que deixaram atrás de si várias pontes, entre outros vestígios, por todo o concelho. Sabe-se também que foi um território tutelado pela Ordem de Malta, até a Rainha Santa Isabel lhe conceder o seu foral. Mas a grande riqueza histórica desta região está nos variados artefactos do paleolítico que foram descobertos nas últimas décadas e que ofereceram ao concelho o seu Museu, único no Médio Tejo.

A descoberta deu-se em 1943, no Porto do Concelho, onde foram encontradas 42 peças da Idade do Bronze, entre foices, lanças, machados, espadas, punhais, braceletes, etc. A ideia de um Museu partiu então do investigador João Calado Rodrigues, que guardou o espólio em sua casa até à sua morte.

Em 1966 a Câmara Municipal adquiriu a coleção e colocou- a ao estudo de Maria Amélia Horta Pereira, a quem competiu idealizar o Museu, que abriu em 1986 e que incluía também um núcleo de etnografia e arte. Em 2000, a descoberta de uma gravura rupestre paleolítica, com mais de 20 mil anos, na margem do rio Ocreza dá uma nova vida à instituição, que estava encerrada.

Gravura do paleolítico, em Ocreza. Foto: DR
Gravura do paleolítico, nas margens do rio Ocreza. Foto: DR

Entre 2003 e 2005 o edifício foi restaurado e está hoje aberto ao público. As atuais exposições apoiam-se numa pequena parte das coleções do Museu e falam sobretudo das origens da agricultura e da arte.

Museu de Arte Pré-Histórica e do Sagrado no Vale do Tejo Largo Infante D.Henrique, Mação

O que visitar mais?

O município possui um belo património monumental, constituído por várias ruínas e edificações da deixadas pelos povos pré-históricos e pelos romanos que viveram no concelho.  No que toca ao património religioso, a valer uma visita, referimos o seguinte:

  • Ermida de Santo António de Mação Imóvel de Interesse Público do qual se desconhece a edificação, apesar de possuir um conjunto de azulejos policromados do século XVII.
  • Igreja de Nossa Senhora da Conceição de Mação Templo do século XVI, mandado construir por D. Filipe II.
  • Torre da antiga Igreja de Nossa Senhora da Conceição de Amêndoa No local havia um templo do século III, mas foi reconstruído no século XVI/XVII. O corpo desta igreja foi destruído em 1988 para dar lugar ao novo espaço, restando a Torre.
  • Antiga Capela da Santa Casa da Misericórdia do Carvoeiro Igreja do século XV, resultado de várias requalificações.
  • Ermida de Nossa Senhora do Pranto Situada no Vale do Grou, foi construída no século XVI pela Ordem de Cristo.
  • Ermida do Espírito Santo Construída em finais do século XVII, é um templo com características do barroco.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

PUB

- publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here