Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Domingo, Novembro 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

À Descoberta | Fauna e flora do Médio Tejo

A murta (Myrtus communis) é um arbusto aromático perenifólio de 1 a 5 metros de altura com caule erecto muito ramificado desde a base. Copa irregular, frondosa, com ramos ascendentes, numerosos e densos. Rebentos do ano anterior pubescente-glandulosos, tornam-se depois glabros. Um ou vários troncos com ritidoma castanho-avermelhado, acabando por se tornar acinzentado e que, ao escamar com a idade, revela a cor ruivacenta da casca. Forma naturalmente moitas quase impenetráveis.

- Publicidade -

A murta é a única espécie da família Myrtaceae nativa da Europa. É um arbusto típico da flora e do clima mediterrânico, muito aromático e com excelente adaptação à fraca pluviosidade e ao estio.

Geralmente mal atinge 5 metros de altura, mais comummente entre 1 e 3 m, que na Primavera se cobre de flores brancas com numerosos e compridos estames. Provavelmente que a brancura e o perfume das flores de murta, favoreceram a sua utilização no arranjo de coroas e de ramos de noivas em várias partes da Europa.

- Publicidade -

De entre os numerosos nomes dados a esta planta em português, temos murta-das-noivas e flor-do-noivado, por exemplo. A ligação da murta com a fertilidade ou “amor”, está também claramente explicitada na origem mítica deste arbusto com Vénus, que como sabemos é a deusa do Amor.

Fotografado em Tramagal.
Fonte: “Árvores e arbustos de Portugal”

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome