Segunda-feira, Dezembro 6, 2021

À Descoberta | Fauna e flora do Médio Tejo

A Marrequinha-comum (Anas crecca) é um dos nossos patos mais abundantes e por vezes junta-se em bandos de centenas de indivíduos. O seu pequeno tamanho e o seu voo rápido podem fazer lembrar um bando de limícolas (aves que se alimentam no lodo ou limo).

- Publicidade -

Este pequeno pato, o mais pequeno da Europa, não tem cores vivas e à distância pode parecer castanho ou acinzentado. Contudo, uma observação mais atenta permite discernir as cores do macho: cabeça vermelha e verde, espelho amarelo sob a cauda. A fêmea é acastanhada e pode confundir-se com a fêmea de marreco. Em voo, ambos os sexos apresentam um “espelho” verde nas secundárias.

A marrequinha é uma espécie invernante e que está presente no nosso país principalmente de Setembro a Março, embora possa ser vista, em pequenos números, noutros meses do ano. Durante a época fria é um dos patos mais abundantes, formando muitas vezes bandos que podem reunir centenas ou mesmo milhares de indivíduos. Junta-se frequentemente a outras espécies de patos.

- Publicidade -

Contrariamente a outros patos, que se concentram quase exclusivamente nas grandes zonas húmidas, a marrequinha apresenta uma área de distribuição mais alargada, ocorrendo também no interior, em numerosas barragens e açudes, preferindo geralmente os de média e pequena dimensão, com abundante vegetação emergente, embora aqui os números sejam geralmente mais reduzidos.

Exemplar fotografado no Paúl do Boquilobo.
Fonte: Aves de Portugal.

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome