À Descoberta | Fauna e flora do Médio Tejo

O Bútio-comum (Buteo buteo) é uma das rapinas mais abundantes em Portugal, não sendo difícil encontrar a característica marca em meia-lua presente no peito desta ave, também conhecida pelo nome de águia-d’asa-redonda.

- Publicidade -

Frequentemente observado em poisos ao longo das estradas, torna a sua identificação mais fácil quando encontrado nestes locais. Assim, pode facilmente ser reconhecida a sua característica mancha clara no peito em forma de meia-lua, contrastando com a tonalidade geral castanha escura e patas claras.

Quando em voo, sobressaem as manchas claras nas partes inferiores e as orlas mais escuras, sendo também distinguível em determinadas condições a mancha peitoral. Pode ser confundido com o bútio-vespeiro, separando-se desta espécie pela cabeça menos projectada e pela ausência de barras intermédias na cauda, já que apenas possui uma barra terminal de forte contraste.

- Publicidade -

O bútio-comum encontra-se bastante bem distribuído pelo território português,sendo a única espécie de ave de rapina presente em todas as regiões do país.

É comum, escasseando apenas nos extremos norte e sul de Portugal Continental. É residente e nidificante abundante em toda a região do Médio Tejo.

Os números desta espécie aumentam durante o Inverno devido à chegada de efectivos provenientes do Norte da Europa. No entanto, a nossa população é basicamente residente, pelo que pode ser encontrado durante todo o ano.

Vocalização do Bútio-comum:

Fonte: Aves de Portugal.
Exemplar fotografado em Tramagal.

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).