À Descoberta | Fauna e flora do Médio Tejo

Ganso-do-Egito

Ganso-do-egipto (Alopochen aegyptiaca) – Esta espécie exótica com origem na região subsaariana de África tem vindo a ser observada com uma frequência crescente em diversos locais do território nacional e poderá estar em vias de estabelecer populações auto-sustentáveis.

PUB

Considera-se que a introdução na natureza foi acidental, fruto de fugas de cativeiro ou mesmo da dispersão natural de colecções privadas e parques zoológicos.

Fácil de identificar, esta grande ave aquática é maior que um pato. A plumagem tem tons cinzentos e acastanhados, destacando-se a mancha castanha em redor do olho e também os tons ruivos nas asas. Em voo são bem visíveis as coberturas alares brancas, contrastando com as penas de voo pretas.

PUB

Embora seja pouco abundante num contexto nacional, pode ser considerado localmente comum, havendo já diversos núcleos que parecem estar bem estabelecidos. A espécie é residente e pode ser vista durante todo o ano.

Na região do Médio Tejo pode ser observado no Paúl do Boquilobo e em lagoas e açudes no interior.

PUB

Como exótica introduzida provoca alguns impactos nas espécies autóctones como competição por locais de nidificação e alimento. Apresenta ainda um comportamento agressivo.

Espécime fotografado no Paúl do Boquilobo.
Fonte: Aves de Portugal.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

- publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here