Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Segunda-feira, Setembro 27, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

À Descoberta | Fauna e flora do Médio Tejo

A cegonha-branca (Ciconia ciconia) é uma ave de grande porte da família das Ciconiidae. A plumagem é maioritariamente branca, com preto nas asas. Esta ave muito popular tem dado origem a muitas e variadas lendas, fábulas, mitos e contos em toda a sua gama, das quais a mais conhecida é a história dos bebés que são trazidos pelas cegonhas. 

- Publicidade -

Os adultos têm longas patas vermelhas e bicos vermelhos longos e pontiagudos e medem uma média de 100–115 cm da ponta do bico até ao fim da cauda e 155–215 cm de envergadura de asas.

A cegonha-branca reproduz em áreas de cultivo abertas com acesso a zonas húmidas, construindo um grande ninho de paus em árvores, edifícios ou plataformas especialmente construídas pelo homem. Apresenta em Portugal a única população no mundo a nidificar em rochedos marítimos, com cerca de 40 ninhos, mais concretamente no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina. Cada ninho tem 1-2 metros em profundidade, 0,8–1,5 metros em diâmetro, e entre 60–250 kg em peso, sendo construídos por colónias dispersas.

- Publicidade -

Foto: Flávio Catarino

Não são perseguidas porque são vistos como um bom presságio nidificando muitas vezes perto de habitações humanas; no sul da Europa, ninhos podem ser vistos em igrejas e outros edifícios.

As cegonhas-brancas geralmente começam a reproduzir-se com quatro anos de idade, no entanto alguns registos provam que a primeira reprodução pode acontecer aos dois anos de idade e até tão tarde como aos sete anos. A cegonha-branca selvagem mais velha de que há registo viveu 39 anos depois de ser anilhada na Suiça. Em cativeiro há aves que vivem mais de 35 anos.

Fonte: wikipedia

Amante e entusiasta da fotografia há 25 anos, vive em Abrantes e é técnico comercial na Maxifer. Na Natureza perde a noção do tempo, podendo ficar horas à espera do momento certo para carregar no botão e imortalizar o momento que foi sentido na alma, pensado com o coração, visualizado no cérebro ainda antes de acontecer, e que a máquina regista para que outros o possam apreciar. Considera-se um "eterno aprendiz" na fotografia, como em tudo na vida.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome