“A caça aos pokémons chegou a todo lado”, por Hália Santos

Finalmente conseguiram tirar os miúdos de casa!!

PUB

De que falas?… Não percebo…

Não ouviste já falar da caça aos pokémons? É um jogo virtual que obriga a com que os miúdos se viciem. A seguir começam a pedir os cartões de crédito dos pais e das ir para a rua para apanhar bichos que parecem que existem, mas que só são visíveis nos telemóveis e nos tablets.

PUB

Mais uma dessas modas, lançada oportunamente em momento de férias, para fazer mães para comprar mais isto e mais aquilo, porque se não tiverem dinheiro virtual já não podem avançar no jogo e coisas que tal…

Bom, ainda mal percebo como funciona este jogo, mas uma coisa é verdade: a moda já chegou a gente de todas as idades e a todos os sítios. Anda meio mundo à caça de bonecos virtuais. Pode ter a vantagem de juntar gerações que por vezes parece que têm poucos pontos de encontro. É preciso não esquecer que os bonecos surgiram na década de 90, portanto, vai buscar os saudosistas, como se diz nalgumas notícias.

PUB

Mas qual é a graça de teres trintões e quarentões atrás de pokémons virtuais?

Parece-me que é uma distração como outra qualquer. Lá por ser bonecada não quer dizer que não seja um desafio para os adultos!

Grande desafio! Vão mas é produzir alguma coisa de útil…

Sabes, para além de fazer juntar gerações, este jogo tem qualquer coisa de verdadeiramente útil. Os jogadores têm mesmo que sair de casa, porque os bichos virtuais estão no mundo real. O jogo mostra os locais onde eles estão e os jogadores têm mesmo que conhecer os locais. Se não sabem onde fica a Igreja da Misericórdia, vão passar a conhecer. De repente, tens quase um guia turístico e cultural na tua própria terra ou nos sítios por onde passares. E isto pode ser qualquer coisa de fantástico.

É tão fantástico que até são atropelados! Andam a olhar para pokémons virtuais que podem estar no meio da estrada e aí vão eles!

Essa é outra coisa gira. Viste o comunicado da PSP? Grande avanço! Uma força de segurança pública que acompanha os tempos e que tem noção dos reais perigos só pode ficar bem na fotografia. O comunicado em forma de alerta que emitiram, rápido e útil, mostra que qualquer coisa está a mudar, e ainda bem!

Pronto! Até parece que descobriram a pólvora! Resolvem-se os problemas entre pais e filhos. Os miúdos fazem exercício. As pessoas ficam mais cultas. As instituições funcionam. Grande empresa que se lembrou de fazer este jogo! Devia ganhar um Nobel qualquer…

Lá estás tu com a ironia do costume. O mundo está a mudar. Não há como fugir. Como alguém dizia ontem numa conversa de café, este pode muito bem vir a ser o primeiro grande passo para a realidade virtual entrar, de forma definitiva, no nosso mundo real.

Isso faz-me lembrar uma série que passou de rompante num canal cabo, em que conseguiam reconstituir alguém que morreu através das conversas telefónicas que teve e das mensagens que deixou pelas redes sociais como se continuasse a pensar e a sentir… Assustador!

Se calhar, não estamos muito longe disso… E enquanto uns caçam pokémons para esquecer tudo o resto que corre mal ou simplesmente para se divertirem, alguém anda muito à frente…

Pois anda! E quem for à frente ganha! Sobretudo dinheiro. Neste aspeto, não há nada de novo: a História repete-se. Quem sabe satisfazer necessidades e quem tem golpe de visão é que se safa. Azar não ser eu… Vou ver como funciona essa coisa para, pelo menos, não ficar fora do mundo!

Fazes bem.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

- publicidade -

1 COMENTÁRIO

Responder a jose saramago Cancelar resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here