Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quarta-feira, Junho 16, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

“A arte é alegria”, por Massimo Esposito

Estou certíssimo disto, a arte é alegria, traz alegria, dá alegria. Um quadro alegra uma sala, uma música alegra um momento, uma peça de teatro dá alegria. Se assim não fosse, porque é que durante seis mil anos, ou mais, os homens decoraram grutas, vasos, armaduras, sapatos, castelos, ruas e tanto, tanto mais? Inventaram estilos musicais e instrumentos e desde pequenos que interpretamos heróis e princesas?

- Publicidade -

Porque alegra o coração, temos isto na nossa carne, até quando dormimos e sonhamos. Às vezes eu acordo a rir dos meus sonhos. São todas evidencias de que a arte é alegria e nós, humanos, não podemos viver sem ela.

Muitos não sabem quanto um pintor é feliz quando acaba um quadro ou um desenho (penso que o sentimento seja o mesmo para um músico, poeta ou dramaturgo). Criamos algo que antes não existia, são cores misturadas com óleo de linho, mas que juntas se transformaram em flores, olhares ou paisagens, o momento criativo traz muitos sentimentos conflituantes, mas no fim há satisfação.

- Publicidade -

Nesta altura pandémica, como professor de pintura, na 1ª emergência pensei: ”oh meu Deus! O que será de mim sem abrir o atelier?”. Mas não, quando acabou tive mais pessoas que vieram para ter a alegria de pintar, a clausura, a separação dos outros despertou algo íntimo e percebi que foram à procura de algo de atávico, da arte, da expressão artística, do momento criativo e isto confirmou o que sempre senti.

A alegria na arte ajuda a ultrapassar momentos difíceis, descarrega as ânsias e medos, e ajuda o ego quando uma pessoa está em baixo.

 É altamente recompensador ver nos olhos dos alunos a alegria de terem realizado com as suas mãos algo belo. E dá mesmo alegria!

Pintor Italiano, licenciado em Arte e com bacharelato em Artes Gráficas em Urbino (Itália), vive em Portugal desde 1986. Em 1996 iniciou um protejo de ensino alternativo de desenho e pintura nas autarquias do Médio Tejo que, após 20 anos, ainda continua ativo. Neste projeto estão incluídas exposições coletivas e pessoais, eventos culturais, dias de pintura ao ar livre, body painting, pintura com vinho ou azeite, e outras colaborações com autarquias e instituições. Neste momento dirige quatro laboratórios: Abrantes, Entroncamento, Santarém e Torres Novas.

- Publicidade -
- Publicidade -

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome