25 Abril | 15 frases de uma sessão solene com nove discursos

Seleção de frases da sessão solene do 45.º aniversário do 25 de Abril, hoje, na Assembleia das República, em Lisboa.

- Publicidade -

“Mais ambição no Portugal pós-colonial, mais ambição na democracia, mais ambição na demografia, mais ambição na coesão, mais ambição na era digital e mais ambição na antecipação do futuro do emprego e do trabalho. Parece um programa impossível? Talvez. Mas a história faz-se sempre de programas, de ideias impossíveis. Portugal é uma impossibilidade com quase 900 anos. Porque haveríamos de ser nós a não acreditar em Portugal?”

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República

- Publicidade -

 

“Não se conte com eles [jovens] para passadas ou futuras clausuras, fronteiras, prisões, interditos de circular e fazer circular pessoas, ideias e projetos de vida”

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República

 

“O que querem os jovens? Os regimes têm que saber responder aos desafios do presente e dos futuros”

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República

 

“[Marcelo Rebelo de Sousa] tem sido uma muralha simbólica contra o crescimento do populismo, pelo papel decisivo e essencial que tem assumido durante a sua Presidência da República”.

Ferro Rodrigues, presidente da Assembleia da República

 

“Em ano eleitoral deixo um apelo aos líderes políticos e parlamentares: que sejam capazes de travar um debate franco e leal, baseado em alternativas políticas claras. A política democrática é essencialmente isso: um confronto tolerante entre interesses sociais e programas políticos conflituantes”

Ferro Rodrigues, presidente da Assembleia da República

 

“Não gostaríamos de voltar a ver Portugal sujeito a ajuda financeira externa, tal como sucedeu em 2011. Toda a ‘ciência governativa’ se resumiu ao exercício de uma gestão corrente adequada aos interesses de uma agenda tática, por forma a garantir a sobrevivência da coligação parlamentar. Compreende-se, mas é contraproducente”

Pedro Roque, deputado do PSD

 

“Os portugueses repudiarão qualquer Governo que ouse administrar a ‘coisa pública’ fazendo uso daquilo que pertence a todos como se se tratasse de uma propriedade de qualquer partido. Rejeitamos que critérios ‘clubístico-partidários’ ou de nepotismo se sobreponham ao mérito e ao interesse coletivo”

Pedro Roque, deputado do PSD

 

“Quando olhamos, porém, as incertezas e disfunções do nosso tempo e nos confrontámos com aliciamentos e receituários que se fazem atrativos, que trocam os medos pela intolerância, pela mentira e pelo apoucamento dos políticos e das instituições democráticas – com o propósito inconfessado não de as reformar, mas de as suprimir -, será um erro desvalorizarmos esses perigos para as democracias”

Carlos César, líder parlamentar do PS

 

“O Serviço Nacional de Saúde pode voltar a andar de cravo ao peito, como Arnaut o sonhou, ou manterá a porta aberta para o negócio dos privados, em cedência à pressão presidencial?”

Jorge Falcato, deputado do BE

 

“A novidade dos dias que correm é que Abril fica mais vivo com todas estas lutas porque este é o verdadeiro espírito que estes cravos carregam – a vontade de um povo que se agigantou nas adversidades e que se junta agora por novas conquistas”

Jorge Falcato, deputado do BE

 

“A promiscuidade com o poder, seja de âmbito económico, partidário ou familiar, é incompatível com a dignidade democrática e atraiçoa Abril”

Filipe Anacoreta Correia, deputado do CDS-PP

 

“O que precisamos ainda de ver, para ouvir um pedido de desculpas – por parte de um governo, um partido ou um regime – pelo escândalo do que foi tirado aos portugueses em compadrios políticos e económicos que destruíram riqueza e atiraram empresas como a CGD, o BES ou a PT para perdas que todos suportamos”

Filipe Anacoreta Correia, deputado do CDS-PP

 

“Num país fustigado por mais de quatro décadas de política de direita, com especial brutalidade durante o período da política dos PEC e do Pacto de Agressão, foi preciso lutar muito para derrotar os planos daqueles que, a partir dos grupos económicos e do Governo PSD/CDS-PP, pretendiam eternizar a política de cortes de direitos, agravamento da exploração e empobrecimento”

Heloísa Apolónia, deputada do PEV

 

“É preciso ir mais longe. Todas as medidas tomadas são certamente pequenos passos, tendo em conta a dimensão dos problemas do povo e do país”

Heloísa Apolónia, deputada do PEV

 

“Vivemos a crédito, a bancarrota ambiental está anunciada e quem tem poderes de supervisão e de intervenção continua em modo negligente”

André Silva, deputado do PAN

Agência de Notícias de Portugal

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).