VN Barquinha | Feira do Tejo, uma festa com origens no séc. XVI

António Luís Roldão, investigador da história de VN Barquinha. Foto: mediotejo.net

Há registos da existência, no séc. XVI, da Feira de Santo António em Tancos que depois passou para a Praia do Ribatejo (Payo de Pelle) numa altura em que se pagava portagem para atravessar de Tancos para o Arripiado (Chamusca). A referência histórica é feita pelo octogenário António Luís Roldão, figura emblemática de Vila Nova da Barquinha que, como autodidata, dedicou a sua vida a investigar a história deste município que está a comemorar a Feira do Tejo, a sua grande festa anual, até ao dia 13 de junho.

PUB

PUB

Essa feira primitiva acabou por desaparecer mas já no séc. XIX foi iniciada outra feira, também de Santo António, mas na vila. E nessa altura chegou a haver uma feira em junho e outra em julho, esta organizada pela associação hospitalar do concelho da Barquinha que tinha por principal objetivo lutar pela construção de um hospital na vila.

O desiderato concretizou-se em 1921, altura em que o hospital ficou pronto e foi fundada a Santa Casa da Misericórdia.

A memória prodigiosa de António Luís Roldão faz-nos recuar no tempo e lembrar as festas organizadas nesses tempos (já no séc. XX) e que traziam à vila os principais artistas de variedades nacionais. O historiador refere nomes como a orquestra Columbia, Simone de Oliveira e Shegundo Galarza.

Com a mudança de regime, nos anos 70, a feira de Santo António desapareceu para dar lugar nos anos 80 à atual Feira do Tejo, envolvendo todas as forças vivas do concelho na realização e celebração da identidade coletiva de um povo.

PUB

O programa dos seis dias da Feira do Tejo deste ano, evento que decorre até dia 13 de junho, procura agradar aos públicos de todas as idades. Por exemplo, a pensar nas crianças existem várias atividades desde ateliers a insufláveis.

 

As primeiras noites da Feira do Tejo foram animadas pelo HNB e pelo grupo INSOMNIO, que apresentou o seu espetáculo de teatro de rua, sendo que esta segunda-feira, dia 10, realiza-se um espetáculo com artistas da terra, concebido por Cândido Godinho e António Dias e denominado “Carlos Barquinha e os 100STRESS”, em espetáculo que passa pela poesia, música e dança.

ALIVE – Tributo a Pearl Jam é o espetáculo anunciado para a noite de 11 de junho, regressando o teatro de rua, no dia 12, com os Absurdium Custom Circus e o seu teatro de rua diferenciador. A fechar, no dia 13, atua a Orquestra Ligeira do Exército.

C/José Gaio

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here