Vila de Rei | Hotel da vila vai ser vendido em hasta pública

Hotel de Vila de Rei. Foto: DR

O Hotel de Vila de Rei segue para venda em hasta pública, após aprovação na reunião de Câmara pública do dia 17 de janeiro. Ricardo Aires (PSD), presidente da CM Vila de Rei, referiu que tal decisão advém da necessidade de obras e reestruturação daquela unidade hoteleira, bem como da intenção de compra do imóvel por parte do atual concessionário para passar a 4 estrelas. O hotel é propriedade privada da autarquia e foi avaliado em cerca de 493 mil euros. O município admite não ter capacidade financeira para entrar em obra e não pode concorrer a fundos comunitários para este fim, crendo que a solução está nas mãos da iniciativa privada.

Ricardo Aires, autarca vilarregense, começou por dizer que a decisão de venda do hotel surge pela intenção do atual concessionário em comprar o imóvel, crendo que “tem viabilidade financeira” e que esta crescerá se o hotel subir de 3 para 4 estrelas. Para tal precisa de ser modernizado e adaptado, mas o município não tem como corresponder financeiramente a esta necessidade.

Assim, tendo por base a proposta de aquisição no valor de 300 mil euros da empresa que detém a cessão de exploração, que o Hotel “necessita de obras para se modernizar, sendo que o município não tem condições de assumir os encargos com as mesmas” e que “concessionário para efetuar esse investimento pretende adquirir o imóvel”, o executivo entendeu aprovar a venda em hasta pública com o valor base a corresponder ao da avaliação por um perito oficial, situado na ordem dos 493 mil euros.

PUB

O presidente da CM Vila de Rei diz esperar que “a hasta pública não fique deserta, para bem de Vila de Rei” e para se rentabilizar este património que pertence ao concelho.

Os interessados devem apresentar as suas propostas até às 16 horas do dia 13 de fevereiro na secretaria da Câmara Municipal. A abertura de propostas acontecerá em sessão pública no dia 14 de fevereiro, na Sala de Sessões do Edifício dos Paços do Concelho, pelas 14h30. O critério de adjudicação para a venda dos edifício será o do preço mais elevado. Mais informações sobre as condições e caderno de encargos no site da autarquia.

PUB

De referir que o atual concessionário – a empresa AlmaRei – ainda tem cerca de quatro anos de contrato para exploração da unidade hoteleira em causa.

Foto: mediotejo.net

“O hotel subindo de 3 para 4 estrelas, teria melhor viabilidade financeira. Mas é preciso dinheiro e o município não tem capital neste momento para investir”, afirmou o autarca, indicando que o caminho poderá estar em entregar o hotel à iniciativa privada.

“Se virmos que a iniciativa privada é uma boa solução, acho que sim. Vamos ver se faz um melhor hotel, para dar melhores condições aos nossos visitantes”, referiu.

A decisão tomada em relação à venda do hotel em hasta pública, deve-se também em parte aos prejuízos causados pela tempestade Elsa, de dezembro de 2019, que veio colocar em causa a realização de obra no concelho e reordenar prioridades.

“Não temos capacidade financeira. No orçamento temos várias obras que poderão estar comprometidas, por que o Penedo Furado e o Bostelim têm de estar prontos em junho, caso contrário dá-se um retrocesso no nosso turismo e o aquilo que andámos a semear, podemos perder tudo. Temos de ter dinheiro para essas duas obras, que são neste momento prioridade”, assumiu.

Algumas obras, que Ricardo Aires não quis para já adiantar quais, poderão “ficar para trás”, não querendo dizer que não serão feitas.

Recorde-se que a unidade hoteleira, pertença do município e datado da década de 90, reabriu portas a 31 de março de 2017 como Hotel Vila de Rei, com o atual concessionário responsável pela sua exploração e sucedendo à antiga Albergaria D. Dinis. Desde início que a empresa manifestou intenção de subir a categoria daquela unidade para 4 estrelas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here